Não consegue ver correctamente? Abra no Browser.

Newsletter N.º 179


Dia 25

Alexandre Pais - Jornalista no Record; «(...) Tenho admiração por Paulo Fonseca, pela coragem em assumir o leme de um barco de navegação difícil, e pela persistência com que trabalha, acreditando nos frutos desse trabalho. Foi por isso uma deceção a sua vinda a terreiro para repetir as acusações à arbitragem do Benfica-FC Porto, logo a seguir à entrevista de Pinto da Costa. Se tinha essa opinião, devia ter falado antes do presidente.(...)»

Fernando Guerra - Sub-Director de A Bola; «25 de janeiro de 2014. Dez anos passaram sobre a morte de Féher, um jovem futebolista húngaro, que deixou como principal legado o sorriso que a primeira págna de A BOLA da edição de 26 eternizou. Acontecimento brutal que entrou sem pedir licença cada adentro de milhares de famílias portuguesas. (...)»

Rui Santos - Jornalista no Record; «(...) Não é por acaso que Joaquim Oliveira e Pinto da Costa sempre se mantiveram juntos e unidos e não é por acaso que o "FC Porto de Pinto da Costa" nunca se envolveu em nada de substancial que permitisse a evolução da indústria do futebol em Portugal. (...)»

Dia 26

Carlos Vara - Jornalista de A Bola; «(...) Pela competição latente e pela distinção que ganhou, o FC Porto-Benfica da Taça da Liga ganha uma expressão tão grande que a prova recolheu agora e por fim a afeição que lhe faltava. basta perceber o jogo com o relógio e o apreço do universo dos dragões a seguir ao jogo com o Marítimo para se perceber que esta competição que não contava é para levar muito a sério.»

Luís Pedro Sousa - Chefe de Redacção do Record; «(...) Foi também um dia importante para a formação do Benfica. Com uma equipa composta à base de jovens portugueses - contando com os mais experientes. Jesus deu a titularidade a sete jogadores nacionais e terminou a partida com nove -, os encarnados tiveram um desempenho agradável e derrotaram o Gil Vicente por números manifestamente lisonjeiros para os comandados de João de Deus. (...) »

Vítor Serpa - Director de A Bola; «(...) Não se entende que assim tenha sido. Mas foi. E quis o destino que a incompetência ficasse marcada por esta situação burlesca de uma decisão por grande penalidade, depois do jogo do Sporting já ter terminado. A Taça da Liga tem tido enormes dificuldades de percurso para se impor como uma competição maior, saudável e sustentável. Precisaria de ganhar credibilidade e respeito para poder também ganhar a confiança dos patrocinadores. Assim fica muito difícil.»

Dia 27

João Querido Manha - Director do Record; «(...) Neste caso, o FC Porto fez tudo o que, aparentemente, a permissividade dos delegados da Liga lhe permitiu, com um elevado grau de profissionalismo, perversidade à parte, que fez toda a diferença na reta final do golo, com o Sporting. Mais penálti, menos penálti, mais golo duvidoso menos erro escandaloso, já se sabe como acaba a história: no fim ganha o Porto. (...) »

José Manuel Delgado - Sub-Director de A Bola; «(...) O Benfica está à beira de concretizar a transferência de André Gomes, por uma verba próxima dos 15 milhões de euros. Tratando-se de um jogador de enorme potencial, que ainda não teve expressão na equipa principal dos encarnados, esta mudança deve ficar registada como um marco da formação nacional. Porque só é possível graças à marca de qualidade que, no futebol mundial, o rótulo 'made in Portugal' representa. »

Vasco Palmeirim - Comunicador no Record; «(...) Clubes apurados no fim do jogo, mas eliminados no balneário. Penáltis que passam a livres indirectos. Um argentino que num minuto está no Porto, mas no minuto seguinte está no Qatar. Nem o tipo mascarado da SIC consegue explicar isto.»

Dia 28

António Tadeia - Director-Adjunto do Record; «Tem-se dito muita coisa errada acerca da polémica em torno do atraso no início do FC Porto-Marítimo da Taça da Liga. Tudo se resolveria num futebol onde a entidade organizadora fosse verdadeiramente profissional e onde não houvesse a tentação permanente pela prevaricação só porque sim, pela vontade de mostrar que somos mais espertos que os outros e que os podemos enganar. Mas infelizmente não é isso que temos. (...)»

Manuel Martins de Sá - Jornalista de A Bola; «1. Gostaria que os teóricos da bola, para quem o futebol é uma ciência complexa, me explicassem porque é que Matic falhou no Chelsea e vingou no Benfica de tal modo que o mesmo Chelsea o voltou a comprar por um preço 5 ou 6 vezes mais alto; ou porque Javí Garcia, um dos pilares da equipa encarnada de há 2 e 3 anos foi cedido a troco de uma fortuna ao Manchester City e, uma vez aqui, deu com os burrinhos na água;(...)»

Vítor Serpa - Director de A Bola; «(...) A questão está em tentar perceber como se podem fazer Jogos Olímpicos em tais condições. Que sinais se dão ao mundo sobre o novo olimpismo? Ou seja: como foi possível aos membros do comité se decidirem pela candidatura russa? A resposta tem de ser procurada na mesma ordem de razão que levou a FIFA a escolher a Rússia para Mundial de 2018. Interesse económico acima de todos os outros interesses.»

Dia 29

António Varela - Sub-Director do Record; «É notório que o FC Porto tem um problema de gestão do tempo quando se trata de participar na Taça da Liga. Há cerca de um ano, a Comissão de Instrução e Inquéritos da Liga entendeu que os portistas deviam ser excluídos da competição exemplarmente conhecida como "taça da cerveja" (designação do tempo em que ainda havia um patrocinador principal), por terem utilizado três jogadores de forma irregular. (...) »

José António Saraiva - Director do 'Sol' no Record; «Os jogos do FC Porto ameaçam tornar-se impróprios para cardíacos. No sábado, contra um Marítimo desfalcado, os adeptos estiveram com o credo na boca até ao último segundo. O golo salvador só surgiu ao soar do gongo, ainda por cima fruto de um penálti discutível. (...)»

Rui Dias - Redactor Principal do Record; «(...) 4. Em regra, o guarda-redes é um puzzle que se completa aos poucos - os 30 anos são uma fronteira imaginária na qual carimba a expressão máxima de qualidades desenvolvidas desde a adolescência. Oblak é a raridade sustentada em manifestação precoce de valores adultos como ponderação, frieza, conhecimento e simplicidade, aos quais agrega classe, instinto, visão, coragem e confiança. (...) »

Dia 30

Bagão Félix - Adepto benfiquista em A Bola; «(...) O que me custa neste dédalo de má-fé negocial e de esperteza é o baixo preço (mesmo que, segundo li, a pronto pagamento) relativo a Matic, agora visivelmente ainda mais desolador quando comparado com o valor da transacção de Mata, um jogador inferior ao benfiquista. Como sócio do Benfica sinto-me engasgado...(...) »

Bruno Prata - Jornalista no Record; «(...) Conclusão: Vieira, desta vez, tem razão para reclamar os méritos. A formação do Benfica melhorou de forma exponencial e isso nota-se nas seleções. Na presente fornada dos sub-21, o Benfica já divide o protagonismo com o FC Porto, Sporting, e Guimarães, e nos sub-19 até leva muita vantagem. Mas não tenhamos dúvidas, o Benfica jamais será maioritariamente "made in" Seixal com um técnico com o perfil do "self-made man" da bola chamado Jorge Jesus.»

Leonor Pinhão - Jornalista em A Bola; «(...) Não vale a pena prometerem-nos que o futuro do Benfica será 'made in' Benfica para noutro dia constatarmos com legítimo espanto que, no caso de André Gomes, será 'made in' Benfica, isso sim, mas o futuro de um Liverpool, de um Mónaco ou de um City, isto para referir nomes de alguns clubes apontados como destino de André Gomes. (...) »

Dia 31

Afonso de Melo - Cronista de 'O Benfica'; «1. Que o respeito é coisa bonita, todos o aprendemos no tempo da mestra palmatória, mas quando o respeito descamba em subserviência provoca asco. E se o presidente do Sporting resolve sugerir alterações no reino há muito podre da arbitragem portuguesa, o Senhor de Cócoras levanta a voz, indignado, desvalorizando a intenção; se o presidente do FC Porto apouca um árbitro, atirando-lhe sobre os ombros as frustrações de derrotas dolorosas, o Senhor de Cócoras cala-se: respeitosa e subservientemente. Por isso continua de cócoras.(...)»

Daniel Oliveira - Analista Político no Record; «(...) O resultado é quando o Sporting chegou ao fim do jogo, tinha passado à fase seguinte. E quando o Porto marcou o pénalti e se salvou, o seu jogo devia ter acabado há mais de dois minutos. Ou sejam tinha a informação que o Sporting não teve. É injusto e tem de ser corrigido. E se não for, o resultado desta competição não terá qualquer valor moral. Que é o único que conta para pessoas honestas.»

João Bonzinho - Jornalista de A Bola; «Jorge Jesus já devia ter percebido a importância daquilo que comunica como treinador do Benfica. Quase cinco anos depois de ter chegado à Luz, Jesus já mudou em muita coisa mas pouca coisa mudou na maneira como fala. E devia ter mudado. Falar como treinador do Benfica não é a mesma coisa, com todo o respeito, que falar como treinador do Felgueiras. (...)»

SIGA-NOS NO TWITTER AMIGO ON FACEBOOK REENCAMINHE PARA UM AMIGO
Copyright © *|CURRENT_YEAR|* *|LIST:COMPANY|*, All rights reserved.
*|IFNOT:ARCHIVE_PAGE|* *|LIST:DESCRIPTION|*
Remover | Preferências 
*|IF:REWARDS|* *|HTML:REWARDS|* *|END:IF|*