Não consegue ver correctamente? Abra no Browser.

Newsletter N.º 208

2.ª jornada da I Liga: FC Porto e Sporting (onde se estreou Nani e logo a titular) ganharam tangencialmente na Mata Real e em Alvalade, enquanto o Benfica na sua deslocação ao sintético do Bessa também venceu pela margem mínima num jogo muito difícil.

Por sua vez a equipa B encarnada desforrou-se com juros da derrota pela expressão mínima contra o Leixões, goleando o Académico de Viseu por 4-0 e impondo a seguir uma derrota em casa do então líder.

Mais um que parte: desta vez foi Peres Bandeira que pouco dirá às gerações mais jovens mas que desempenhou um importante papel no Benfica quer como treinador quer como olheiro. Que descanse em paz!

No Benfica voltaram as lesões graves. Desta vez Rúben Amorim que teve que ser operado e estará sem poder competir por um período aproximado de 6 meses. Como se houvesse fartura de médios...

Europa; como apontavam os vaticínios, o FC Porto apurou-se para a Fase de Grupos da Champions onde demonstrou superioridade frente ao Lille. Na Liga Europa o Rio Ave apurou-se para a Fase de Grupos juntando-se ao Estoril, enquanto o Nacional ficou pelo caminho ao ser de novo derrotado em casa.

Fernando Gomes falou para dizer pouco ou quase nada sobre a presença portuguesa no Mundial do Brasil. Como aliás se esperava...

Telma, sempre Telma! Mais uma medalha de prata no Mundial de Judo. Grande atleta que honra o clube, a modalidade e o País.

O sorteio da Fase de Grupos da 'Champions' deu como resultado esperanças equilibradas para as três equipas portuguesas envolvidas, sendo que apesar do equilíbrio, o FC Porto parece ter sido o que mais beneficiou com o sorteio. Mas, aparte isso ainda falta algum tempo e muita coisa pode acontecer nas equipas para melhor ou para pior. A esperança mantem-se.


Dia 23

Bernardo Ribeiro - Sub-Chefe de Redacção do Record; «O regresso de Nani ao Sporting é a notícia da semana. O extremo português ofuscou a contratação de Júlio César pelo Benfica e deverá originar uma romaria esta noite a Alvalade, na estreia de Marco Silva em casa, mas sendo o menino da formação o grande chamariz. É num cenário festivo que os leões lambem as feridas de um empate sensaborão em Coimbra. Já no Dragão, a deslocação a Paços de Ferreira surge envolta em dúvidas apesar da vitória em Lille, pelo caso protagonizado por Quaresma. A mão dura de Lopetegui percebe-se e o homem das trivelas ficou de fora da convocatória, para ver se entende que o tempo em que ditava regras no balneário acabou. O comportamento dentro e fora de campo sempre mereceu reparos, mas faltou na época passada quem tivesse a coragem de o colocar no devido lugar. Pelos vistos, hoje há. (...) »

Miguel Cardoso Pereira - Jornalista de A Bola; «Não é que Jorge Jesus não tenha parcialmente razão ao reconhecer-se incomodado por ter de chamar Bebé a um homem de 1,90 metros. Logo, o jogador vai mesmo a ver o nome de nascimento, Tiago, escrito na camisola do Benfica. Nada de novo para Bebé, porém, que em 2010, quando deixou o V. Guimarães para o Manchester United, aceitou a recomendação de Alex Ferguson para cortar o cabelo, segundo relato do próprio jogador em antiga entrevista. Já cortou, assim, o cabelo a mando dum chefe e pode mudar de nome profissional a mando doutro.
Esta questão dos nomes de criança e das alcunhas de família que se normalizam nos campos é interessante. Se deve haver uma defesa da imagem do atleta e da competição, por outro lado há a força, que creio maior, do interesse pessoal - se alguém quer ser Bebé tem esse direito - e da tradição. Basta lembrar Pelé, entre um milhão de exemplos que poderiam ser dados. (...)
»

Rui Santos - Jornalista no Record; «(...) Creio, no entanto, que o efeito Nani pode ser muito positivo, mas a equipa não foi globalmente reforçada como deveria - para o imediato... O Sporting deveria ter investido num defesa-central de grande qualidade em vez de andar a contratar jovens jogadores estrangeiros de valor não superior aos que tem em casa. Aqui, BdC falhou rotundamente, e é preciso perceber porquê. É que BdC, na sua ânsia centralizadora e populista, já deu sinais de que pode tornar-se no primeiro presidente-treinador. Já esteve mais longe o Sporting Clube de Carvalho. »

Dia 24

Luís Avelãs - Editor do Record; «(...) O Sporting já tinha uma equipa jovem e contratou mais gente com escassa experiência ao alto nível. E tendo apostado num treinador com uma carreira sustentada, também não deixa de ser verdade que esta é a primeira prova de fogo para Marco Silva. Jogar para ser primeiro não é a mesma coisa que brilhar sendo quarto ou quinto. Perante isto, e continuando a entender o discurso moralizador do presidente, parece claro que em Alvalade a fasquia foi colocada demasiado alto. E a chegada de Nani só contribuiu para que a pressão interna aumentasse. O extremo é um jogador de classe, mas não pode ser visto como um autêntico D. Sebastião que aterrou na Portela para desequilibrar as contas da Liga a favor dos leões. Isso até poderá acontecer, mas a verdade é que o Sporting não é, pelo menos por enquanto, o principal candidato ao título. Nani é só uma peça, assumidamente fulcral, mas não a resposta para todos os problemas. Até porque também falha. Inclusive os penáltis que "são" de Adrien...»

Victor Bandarra - Jornalista, no Record; «(...) Para já, Lopetegui vai ver o que são "autocarros" em frente das balizas e perceber que os seus "muchachos" têm ganas bem diferentes ao jogarem com o Paços ou com o Lille. Além de que não basta ter posse de bola, é preciso marcar. Assim insiste Carlitos com o seu Sporting. "Não devia ter sido Nani a marcar aquele penálti!" Certo é que Bruno de Carvalho fez a jogada do mês com o "coelho" Nani que lhe saiu da cartola. Não faz uma equipa, mas ajuda um bocado. Caladinho, o Zé prepara-se para o seu Benfica de hoje. Júlio César e Samaris já cá estão. Falta um tal Hernández, são apenas 10 milhões. Os três amigos acreditam que Rúben Neves, Esgaio, Mané e quejandos hão-de também vir a render. Crise?! Qual crise?! Só se for por falta de dinheiro.»

Vítor Serpa - Director de A Bola; «Acredito na sinceridade da alegria de Nani, neste seu regresso ao Sporting. Por isso acredito na pureza da sua transbordante generosidade e no desejo ardente de ter tido uma estreia digna do aplauso unânime dos sportinguistas. Porém, futebol e a vida gostam de pregar partidas aos humanos que se perdem na paixão. Espero, sinceramente, que Nani tenha a humildade de perceber o que se passou ontem e tenha aprendido uma bela lição de vida. Não tenho dúvida de que Nani acreditava que ia fazer golo no penalty que decidiu roubar a Adrien, mas não devia ter feito o que fez. Há regras, há disciplina e há ética numa equipa profissional de futebol, como Nani muito bem sabe. Mesmo quando se tem a ideia de que se é capaz de resolver o jogo e o mundo, não se pode desrespeitar, de uma vez, treinador, colegas de equipas e espectadores. (...)»

Dia 25

Hermínio Loureiro - V.P. da F.P.F. em A Bola; «Acho que Portugal vai ter este ano três equipas a participar na fase de grupos na Champions. Benfica, Sporting e Porto vão animar esta competição. É certo que ainda faltam 90 minutos no Estádio do Dragão para consagrar a presença do Porto no sorteio da Champions. Foi um Porto forte, consistente, ambicioso e seguro que jogou em França num estádio coberto dando um passo de gigante na competição dos milhões. Nesta partida foi batido mais um recorde com a utilização de Rúben Neves. Este jovem demonstra em campo uma maturidade incrível, mostrando que quando são dadas oportunidades eles brilham pois não lhes faltam talento e qualidade. (...)»

Miguel Belo - Jornalista do Record; «Além dos três pontos que permitem aos encarnados colar-se ao grupo de primeiros classificados, há uma ilação que fica do jogo de ontem no Bessa. Há um Benfica com Enzo Pérez e outro sem ele, e o problema, nesta altura, é que ainda não há uma decisão quanto ao futuro do argentino. Mas caso se confirme a mudança para o Valencia, é óbvio que a equipa de Jesus sofre um enorme rombo, de danos imprevisíveis e numa altura em que a época já vai em andamento. Bem sei que Javi García ou Axel Witsel também saíram em cima do fecho do mercado, mas a preponderância de Enzo neste modelo de jogo do Benfica é muito, mas mesmo muito grande. (...)»

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «(...) O Benfica que esteve no Bessa ainda mais vincou duas graves deficiências: débil meio campo (sem Enzo e com nova lesão de Rúben Amorim, André Almeida e o imberbe Talisca são os médios que lhe restam enquanto Samaris não estiver em condições de ocupar a muito provável vaga de Enzo...) e crise de goleadores, sendo evidente que Jara e Derley nunca farão esquecer Rodrigo e Cardozo. Espetacular Rio Ave: chapa 5 no Estoril (!), mesmo reservando meia equipa para decisiva 2.ª mão europeia. E segue-se Benfica-Sporting... tão cedo, mas já tão importante para se ver quem é quem... »

Dia 26

Fernando Guerra - Sub-Director de A Bola; «(...) Pela ânsia de se tornar notado provavelmente, fica a ideia de que o presidente (Bruno de Carvalho) descobre soluções e destapa dificuldades com a mesma cadência. É lá com ele... Rejeita a 'tribuna' (representação institucional). Prefere o banco, prática à 'antiga portuguesa' e só seguida, a espaços, em emblemas de pequena expressão. Comportamento desajustado, aparentemente, a não ser que, além, de grande líder, se julgue com inclinação para dar a tática. Não seria o primeiro e, se for o caso, então é capaz de fazer sentido...»

José Ribeiro - Sub-Chefe de Redacção do Record; «(...) Enquanto no FC Porto existe basicamente a interrogação Jackson, no Benfica identificam-se outros problemas, talvez até maiores e de complicada resolução. A lesão de Ruben Amorim veio atrapalhar ainda mais a vida a Jorge Jesus. No atual quadro, com Samaris e Enzo Pérez presentes, o cenário não se apresenta catastrófico. Contudo, o argentino continua a ser a grande interrogação. A saída dele, neste momento, colocaria o Benfica numa tal situação de fragilidade que pensar na revalidação do título seria quase uma utopia. Até janeiro (quando se der o previsível regresso de Fejsa), o campeonato pode ficar perdido. A não ser que a reação seja rápida e criativa na busca de, pelo menos, mais um médio. Isto sem perder de vista que a equipa precisa de um avançado diferente. Para ontem. (...)»

Norberto Santos - Redator Principal do Record; «(...) Boa parte da época do FC Porto em termos financeiros depende do encontro de logo à noite. Lopetegui quis marcar a diferença e fazer passar a mensagem de que está atento e tem muitas opções. Mas, por outro lado, não pode cair na tentação de arranjar outros motivos para enervar Quaresma, que a qualquer momento tanto pode resolver jogos como criar insónias ao treinador. E o extremo dos dragões deve ter a consciência que, quase a completar 31 anos, seria muito difícil voltar a ser feliz no estrangeiro.
Por agora, não há motivo para alarme, e o recente silêncio de Lopetegui sobre o caso Quaresma ajusta-se à situação. E o pior que poderia acontecer neste momento ao FC Porto é os seus dirigentes andarem divididos entre as opções de Julen Lopetegui e as ações de Ricardo Quaresma.
»

Dia 27

Jorge Barbosa - Editor do Record; «(...) Se a equipa de Marco Silva mostrar ânimo e soluções de adaptação aos imperativos e exigências do jogo, o que está perfeitamente ao seu alcance, poderá então embalar para uma boa prestação na Luz; se se apresentar temerosa e der mostras de insegurança, é de todo provável então que o desfecho lhe seja desfavorável, face a um Benfica que, por esta altura, se encontra com vários problemas, sendo o maior deles a falta de soluções credíveis no seu ataque, o que Jorge Jesus resolverá por certo, mas não a tempo deste jogo com o vice-campeão nacional. Qualquer uma destas duas equipas, ainda numa fase de consolidação, tanto na construção de plantel como de processos de jogo, precisa com urgência de chegar à vitória como polo aglutinador para os próximos e duros combates. »

José António Saraiva - Director do 'Sol' no Record; «(...) Falar em Quaresma faz inevitavelmente pensar em Nani. Este também é um regressado a casa, um filho pródigo, e tem tendência para se arvorar em "dono da bola". É a nova coqueluche do Sporting. E isso pode afetar negativamente o resto do plantel. A equipa do Sporting era uma equipa arrumada, que valia pelo coletivo, pelo espírito de grupo, e a entrada de uma estrela corre o risco de fazer tremer o conjunto. É cedo, portanto, para considerar Nani um grande reforço.
Essa dúvida ficou, de resto, a pairar sobre Alvalade no último sábado. O próprio Marco Silva pareceu atarantado pela chegada do jogador. Quanto aos outros resultados, o Benfica mostrou que lhe falta um avançado, e o Porto que precisa de fazer um jogo mais vertical. Salientem-se ainda o afundamento do Estoril e o glorioso arranque do Belenenses, a provar os méritos de Vidigal.
»

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «Já está. FC Porto vai acompanhar Benfica e Sporting no arranque a sério da Champions. Muito naturalmente - e com o à-vontade de 3-0 no saldo final de pré-eliminatória, expressando a certeza de que o 3.º do anterior campeonato lusitano é, com nitidez, superior ao do anterior campeonato francês.
Do Lille havia ideia de poder ser mais forte em casa alheia do que na sua. Provavelmente é verdade; ontem, porém, por muito pouco tempo se deu por isso (segunda metade do primeiro tempo). Aí, surgiram tremeliques portistas e pairou risco de se reabrir a sério discussão pelo acesso à fase de grupos e consequente garantia de euros ao nível de 10 milhões. Foi o período em que o FC Porto ficou preso, e enervado, no excesso de prioridade ao dito controlo do jogo com posse de bola... que deixou de ter quando no seu futebol, demasiado lateralizado, entrou o desperdício de tantos passes estropiados. (...)
»

Dia 28

Carlos Barbosa da Cruz - Advogado no Record; «(...) Eu sei que quem é pobre cala e consente. É-o o país, e são-lo os clubes, mas há mínimos que têm de ser impostos, sob pena de o futebol perder ainda mais credibilidade. É que empresários com longo "curriculum" de traficância de resultados já são donos de clubes em Portugal. »

João Querido Manha - Directir do Record; «(...) A presença portuguesa na fase inicial da Champions será um caso de estudo, que resulta de uma capacidade excecional de captação de valores, da prospeção de Benfica e Porto. As transferências milionárias de James Rodríguez e Di María, depois de tantas outras ao longo dos últimos dez anos, ajudam a explicar o fenómeno. Pelo menos nesta matéria ninguém poderá dizer que não somos competentes.»

Miguel Candeias - Jornalista de A Bola; ««Foi espetacular! Nem tenho palavras para falar da forma como combati e da medalha. Após ter perdido na final estava a chorar mas... de emoção. As pessoas nem imaginam tudo o que fiz para chegar outra vez aqui. Esforcei-me mesmo, mesmo muito. Só pensei: Dou graças à vida ter tido outra oportunidade destas», declarou Telma Monteiro após a conquista da prata dos -57 kg no Mundial de Chelyabinsk, que decorre na Arena Traktor, na Rússia. (...)»

Dia 29

Afonso de Melo - Cronista de 'O Benfica'; «(...) Antes que fosse formada a selecção do Dr. José Maria Antunes, já havia um mau ambiente dos seleccionados para com o seleccionador. (...) Nunca o futebol português teve tantos "internacionais" em tão pouco tempo. Não sou, nem poderia ser, contra a renovação. Entendo mesmo que ela se impõe e é necessária. Mas apenas em relação aos jogadores que atingiram uma idade em que perderam faculdades físicas e não podem, por isso, fazer prevalecer os seus recursos técnicos».
Esta entrevista ficou para a história do futebol português. Raramente, por esse tempo, um jogador assumia posições tão claras, tão contundentes. Não me surpreende, portanto, que me digam que António Simões deu um responso em directo a certo abajoujado truanaz. Fez bem. Se não tinha medo das palavras no tempo da Outra Senhora, é assim que deve continuar por mais que novos régulas o queiram fazer calar. Ainda bem que me lembrei dele. Era tempo de o trazer aqui.
»

António Oliveira - Ex-Seleccionador Nacional, no Record; «(...) Com o Benfica à espera de encontrar a melhor forma e com o Sporting apostado em mostrar que é candidato ao título, este jogo surge na melhor hora para as ambas as equipas. Para o Benfica, é a oportunidade de ganhar motivação com a vitória sobre um rival e de o colocar a cinco pontos de distância em apenas três jornadas. Já o Sporting não quererá perder a chance de ganhar vantagem em relação às águias, tirando partido da maior fluidez de jogo que a sua equipa apresenta de momento, pelo que só a vitória lhe interessa. Uma partida que promete.»

Sílvio Cervan - V.P. Suplente do SLB em A Bola; «(...) Nesta conjuntura desportiva e até financeira as aspirações europeias são quase nulas na Liga dos Campeões e reduzidas na Liga Europa. Analisado o sorteio da Liga dos Campeões, é tão forte o grupo do Benfica que fica ainda mais nítido o objectivo de ser campeão nacional. É muito difícil assumir esta realidade, mas no meu íntimo não tenho dúvidas: vencer o campeonato é o verdadeiro objectivo. O sorteio de qualificação tão impossível na Liga dos Campeões pode até ser uma vantagem para o Benfica.
Importante, por agora, é o Sporting, e depois será o V. Setúbal. Ser campeão de Portugal é o maior objectivo europeu que se pode ter. Dia 31 de agosto e o papão do fecho de mercado estão aí.
»

SIGA-NOS NO TWITTER AMIGO ON FACEBOOK REENCAMINHE PARA UM AMIGO
Copyright © *|CURRENT_YEAR|* *|LIST:COMPANY|*, All rights reserved.
*|IFNOT:ARCHIVE_PAGE|* *|LIST:DESCRIPTION|*
Remover | Preferências 
*|IF:REWARDS|* *|HTML:REWARDS|* *|END:IF|*