Não consegue ver correctamente? Abra no Browser.

Newsletter N.º 245

Parabéns merecidos à equipa de Voleibol que se sagrou mais uma vez (3.ª consecutiva) campeã nacional. Uma época excelente, pois foi finalista da Taça Challenge e teve direito ao triplete nacional. Muitas dificuldades aguardavam a equipa na finalíssima em casa da também excelente Fonte de Bastardo onde, aliás, tinha perdido os dois jogos anteriores. Mas nada disso impediu a vitória insofismável!

A antepenúltima jornada encerrava alguma expectativa. Na Luz o Benfica cedo acabou com as dúvidas e com uma exibição económica mas pragmática acabou por golear o Penafiel que desceu de divisão. O seu imediato perseguidor venceu como se esperava o Gil Vicente, pelo que tudo continua como dantes mas agora com menos uma jornada. O Sporting alcançou o seu 10.º empate frente ao Estoril.

Penúltima jornada, onde todos os sonhos são legítimos. Vamos vencer a Guimarães e arrumar as contas do título?


Dia 9

José Manuel Delgado - Sub-Director de A Bola; «(...) A todo este processo não é alheio Luís Filipe Vieira, que em 14 anos de ligação ao Benfica se constituiu no principal responsável pela regeneração (ou refundação?) de um clube que batera no fundo durante o consulado de Vale e Azevedo. Noutro plano, mais setorial, também há a assinalar influência positiva de Jesus, que deu ao Benfica a coerência competitiva de que carecia. Um e outro, com os altos e baixos próprios dos casamentos longos, contribuíram para a recuperação. Daí que, quando o campeonato acabar e se sentarem para falar do futuro, não haja nenhuma boa razão para que não continuem o percurso comum. »

Rui Santos - Jornalista, no Record; «(...) Bem sei que Luís Filipe Vieira quer um Benfica mais português e mais "seixalizado", não apenas por causa da imagem mas também por causa da redução de custos e da rentabilização do investimento feito no Seixal. É legítimo. Mas também é legítimo perguntar se não foi através do "padrão Jesus", com o mérito de arrastar positivamente Vieira, que o Benfica conseguiu contestar a hegemonia do FC Porto, até aí rei e senhor do futebol português?
Num tempo de "downsizing" geral - não há condições para mais engenharias financeiras -, talvez a ambição de Jorge Jesus já não caiba no Benfica. O Benfica não acaba por isso e pode até, nesse ambiente de "downsizing", aproveitar-se da previsível "descapitalização" do seu principal adversário. Mas deve preparar-se para o impacto de uma eventual saída, mesmo que tenha no horizonte possíveis substitutos como Nuno Espírito Santo, Rui Vitória, Marco Silva ou a alternativa que Jorge Mendes indicar...
»

Vítor Serpa - Director de A Bola; «(...) Serão, pois, os clubes decisivos na definição da Liga sobre o que espera da centralização dos direitos televisivos, mas atentamente à espera estarão, por exemplo, as associações de futebolistas e de árbitros, principais protagonistas do negócio e parceiros na indústria. Junte-se a Federação e os seus legítimos interesses mais abrangentes e que não podem perder de vista o financiamentos dos pequenos clubes, das competições de futebol não profissional e de formação e teremos em perspetiva uma matéria de elevado grau de dificuldade para o próximo governo, que terá de saber agir com especial ponderação e bom senso.
Há que ter a consciência de que os próximos tempos serão fundamentais para o crescimento (ou definhamento) do futebol em Portugal e seria essencial que os grandes clubes nacionais, cuja capacidade de influência é avassaladora, conseguissem entender que, desta vez, e nesta matéria tão complexa e tão sensível, os seus interesses são mesmo de caráter universal e não apenas individuais.
»

Dia 10

Fernando Seara - Adepto Benfiquista em A Bola; «(...) 5. Quem repetiu a vitória, pela terceira vez consecutiva, e na bonita Ilha Terceira, foi o voleibol do Benfica. Todos merecem parabéns. Mas acima de tudo a aposta benfiquista no ecletismo. Que dá projeção e dimensão. Satisfação e reputação. Expressão e convicção. E, depois, ambição. Aquela que, decerto, vai estar presente em Guimarães. Com o Vitória já 'certo' na próxima edição da Liga Europa! »

Ricardo Costa - Professor de Direito da Universidade de Coimbra, no Record; «Cada país desportivo é como cada qual. Também no futebol e na circulação de jogadores pelos clubes do burgo. Ao contrário de outros países, não é bem visto pelos adeptos dos nossos três clubes grandes que os jogadores se transfiram entre eles nem que, depois de "vendidos" para clubes estrangeiros, possam voltar a jogar em Portugal num dos outros dois grandes. Mesmo quando há acordo direto dos clubes e dos atletas, esses processos acabam sempre por criar resistências e dissabores, desde logo para os jogadores. Sabemos as estórias do passado - a mais recente acontecida com João Moutinho no trânsito do Sporting para o FC Porto - e sabemos como os dirigentes dos clubes anteriores - "vendedores" - acabam por se sentir acossados quando essas "vendas" ou regressos (depois de "vendidos" para o estrangeiro) acontecem para os rivais. Esta semana o enredo voltou com a possível contratação pelo FC Porto de Nolito, jogador que esteve no Benfica e foi "vendido" para o Celta de Vigo, contratação essa que estaria dependente de uma alegada aprovação do Benfica. Daí a um conflito de verão seria um pequeno passo. (...)»

Vítor Baía - Ex-Internacional, no Record; «(...) Dito isto, podemos centrar atenções na segunda mão das meias-finais da Champions League, onde a Juventus ameaça ser a grande surpresa da prova. Terá o Real argumentos para virar o jogo em Madrid? Acredito que sim, mas sem Benzema, Modric e possivelmente Kroos, as coisas podem complicar-se... No outro jogo, o Barcelona tem o apuramento no bolso, mas 90 minutos na Allianz Arena podem transformar-se num verdadeiro pesadelo. Que o diga Lopetegui e os seus pupilos... Favoritos? Não creio que existam nesta fase da prova, e sejam quais forem os finalistas, estou certo de que Berlim receberá uma final de enormíssima qualidade. »

Dia 11

António Magalhães - Director do Record; «No final do Benfica-Penafiel, Jesus afirmou: "o FC Porto vai vencer o Gil Vicente. Ainda não jogou, mas, para mim, é como se já tivesse jogado". O encontro veio dar razão a Jesus. O FC Porto ganhou e adiou a decisão do título. Tudo pode ficar resolvido na próxima jornada se os encarnados vencerem em Guimarães. Caso contrário, teremos campeonato até ao fim.
Jesus não tinha dúvidas sobre a vitória do FC Porto, mas se alguém as tivesse não viveu nessa angústia durante muito tempo. Apesar de Adriano ter adiado por segundos o resultado anunciado, a verdade é que Quaresma - mais eficaz a cruzar do que a marcar um penálti - e Jackson deram rumo ao destino. O marcador ficou por ali, mas para já o bis foi só de Jackson. A liga não acabou. (...)
»

José Manuel Delgado - Sub-Director de A Bola; «Os presidentes do Penafiel e do Gil Vicente, clubes que estão na zona de descida (os durienses já estão despromovidos...) já vieram a terreiro lembrar que, apesar da situação pontual em que se encontram, não devem nada a ninguém e não admitem que outros que não têm as contas em dia lhes passem à frente.
Tudo se encaminha para que a Liga de Clubes seja este ano confrontada, de forma muito séria, com a necessidade de tomar medidas que punam os incumpridores, única forma de garantir o fair-play e a integridade da competição. Poderá acontecer que desçam de divisão clubes que terminem a época em lugares de relativo conforto, assim se faça prova de que não cumpriram com as suas obrigações, quer em relação a salários, quer no que respeita à fiscalidade e Segurança Social. (...)
»

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «(...) Na I Liga, só de mais uma vitória precisa o Benfica para ser bicampeão. Osso mais difícil surge-lhe de imediato, em Guimarães, cujo Vitória já garantiu Liga Europa e, se hoje conseguir triunfar em casa do Nacional, muito ameaçará tirar o 4.º lugar ao grande rival de Braga... Pelo também europeu 6.º posto, despique entre 5.!: P. Ferreira e Belenenses iguais (Belém vai já receber o FC Porto), Rio Ave 1 ponto atrás deles, tal como ficará o Nacional se ganhar esta noite, e o Marítimo, a 3 pontos do duo líder desta corrida, será já visitado pelo Rio Ave... Último e penúltimo separados por 3 pontos... Gil Vicente vai a Penafiel e recebe Belenenses; V. Setúbal recebe Arouca e vai a Braga (uma vitória garantir-lhe-á respirar fundo; mas o Arouca, se perder em Setúbal, poderá entrar em alto risco...).
Pontas finais de gritos!
»

Dia 12

Fernando Guerra - Sub-Director de A Bola; «(..) O problema central é mais profundo e complexo e passa ao lado dos destemperos de Lopetegui e dos enganos de Jesus. O que está em cima da mesa é o que me parece ser a irreversibilidade de uma mudança de ciclos, temida por portistas e perseguida por benfiquistas. Talvez não se note, mas existe. Pinto da Costa no treino é quase sempre tema de notícia. Luís Filipe Vieira raramente merece essa saliência e, no entanto, as coisas estão a mudar: o que fraqueja no Porto, fortalece no Benfica. »

Nuno Santos - Jornalista no Record; «(...) O passo seguinte é o mais importante, porque não chega ganhar, é preciso ganhar de forma continuada. As ideias chave de Luís Filipe Vieira sobre o Benfica e o futebol do Benfica são conhecidas, mas quando o presidente quebrar o silêncio, dentro de 15 dias, há muitas perguntas que precisam de resposta. É o momento em que Vieira vai clarificar a situação do treinador; da utilização de atletas da formação, do trabalho do "scouting" do clube, da maneira como está a ser gerida a elevada dívida. Luís Filipe Vieira tem jogado bem neste tabuleiro, mas não está sozinho. No futebol, como na vida, mais difícil do que chegar ao topo é permanecer lá. »

Pedro Adão e Silva - Professor Universitário, no Record; «(...) Este ano, o Benfica não só parece ter o título à mão de semear, como resistiu na liderança desde a 9.ª jornada, com o Porto à ilharga, nunca claudicando. É também por isso que estamos perante uma conquista que, a concretizar-se, é tão importante. Tanto mais que o Porto investiu muito, com empréstimos a preços impraticáveis (Casemiro), contratações de valores proibitivos para o campeonato português (Adrián López) e uma aposta de médio prazo num treinador desconhecido. Convém recordar que este era o ano em que o Porto não podia falhar e em que o Benfica iniciou a época quase derrotado. »

Dia 13

Bagão Félix - Adepto benfiquista, em A Bola; «Numa semana de grande expectativa em relação ao almejado bicampeonato de futebol para o Benfica (embora todas as cautelas sejam avisadas), escrevo sobre uma modalidade de que sempre gostei: o voleibol.
O pretexto é, claro está, o tricampeonato do Sport Lisboa e Benfica que este ano faz o triplete vencendo campeonato, taça e supertaça e alcançando a final de uma prova europeia. Um grande trabalho de um excelente técnico e enorme benfiquista José Jardim e de um conjunto de atletas de elevado nível, numa luta renhida com a surpreendente equipa Fonte do Bastardo, uma freguesia da Praia da Vitória na Terceira (com cerca de 1.300 habitantes). Para ser coerente, devo referir que não concordo com esta ideia de play-off para decidir o campeão. Desta vez coube ao Benfica superar um invicto vencedor da fase regular. Antes, o Benfica havia perdido duas vezes nas mesmas circunstâncias. (...)
»

Eduardo Barroso - Adepto sportinguista, em a Bola; «Só me faltava isto: acusarem-me de xenófobo! Criticar Julen Lopetegui por ser espanhol e basco? Que ridículo! Até comecei por simpatizar com ele quando o conheci, e só o conheci pela comunicação social quando ingressou no FC Porto. Falta de cultura futebolista, como diz o meu filho mais novo? Provavelmente. Ele sabia quase tudo sobre ele. Que tinha sido um guarda-redes banal do Barcelona, treinador com êxito de seleções jovens em Espanha, um insucesso total como treinador de clubes. Eu não sabia nada, tive de aprender. Claro que me agradou o seu curriculum: iria ser provavelmente um desastre num clube com a dimensão do FC Porto. Depois ainda mais simpatizei com ele quando menosprezou o meu Sporting no Dragão e levou três para a Taça de Portugal, sem pestanejar. Fisicamente acho-o um homem elegante, com muito bom aspeto. Que fique claro: acho que ele falhou no FC Porto e isso soube-me bem. Ter-me-ia sabido melhor se só tivesse conseguido o terceiro lugar, o que só não aconteceu, entre outras coisas, porque em Alvalade teve uma sorte danada. (...)»

Rui Dias - Redactor Principal do Record; «(...) 4. Jardel chega ao fim da temporada como um dos melhores centrais da Liga. Sem perfil de protagonista, é candidato ao Oscar de melhor ator secundário de 2014/15, processo lançado pela convicção de Jorge Jesus em colocá-lo à frente de Lisandro López e César na hierarquia liderada por Luisão. Muitos não compreendem como pode ser ele o parceiro do capitão com melhor estatística de sempre; muitos jamais encontrarão os motivos pelos quais um jogador com limitações técnicas apresenta rendimento superior a David Luiz e Garay. Jardel cumpre assim um dos principais requisitos do central de uma grande equipa: encontrou a medida exata, de comportamento e atitude, para se articular com o companheiro do lado, de modo a completá-lo e até potenciá-lo; tudo para que o funcionamento de ambos, entendidos como dupla, seja superior à soma do talento individual de cada um. »

Dia 14

Carlos Barbosa da Cruz - Advogado no Record; «(...) A propósito destas novidades, fala-se também do envolvimento do Benfica e de Luís Filipe Vieira no projeto; Jorge Mendes prepara-se para levar três jogadores do Rio Ave para o Benfica e é referido que o Rio Ave irá funcionar como entreposto de jovens promessas daquele clube. Aqui é que a porca torce o rabo, pois tudo aponta para o estabelecimento de uma promiscuidade empresarial e desportiva, ao nível da que já existe com o Belenenses, e que leva a que, como se sabe, os jogadores emprestados (e outros) do Belenenses não joguem contra o Benfica, mas joguem contra os outros clubes, com a perversão da verdade desportiva que essa prática envolve. (...) »

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «(...) Especulação: empate do V. Guimarães no terreno do Nacional (2-2), no início desta semana pode ter sido bom para o Benfica... Se o Vitória tivesse ganho, estaria apenas a 2 pontos do 4.º lugar, de direta entrada na Liga Europa, e, quiçá sobretudo, por questão de tremenda rivalidade, de ultrapassar o SC Braga... O que se concretizaria com triunfo sobre o Benfica em simultâneo com derrota bracarense em Alvalade... Se tivesse ficado ao rubro o eterno campeonato minhoto, o Benfica precisaria mesmo de alerta vermelho em Guimarães...; ainda assim, alerta amarelo alaranjado no que será, ou não, o definitivo «jogo do título». Também restando saber o que fará o FC Porto em casa do Belenenses que está igualado ao P. Ferreira no despique pela Liga Europa, ultra prioridade declarada pelo presidente da sua SAD. »

Vítor Serpa - Director de A Bola; «Dificilmente Marco Silva continuará no Sporting. A informação, dentro das paredes de Alvalade, é conhecida, muito embora esteja legitimamente reservada. O Sporting não terminou a época, tem uma importante competição ainda para ganhar e não faria sentido dispersar atenções, antes da final da Taça de Portugal.
É por isso que se justifica que o presidente Bruno de Carvalho não tenha aludido ao tema do treinador na entrevista que especificamente preparou para o canal do seu clube, onde, naturalmente, falou do que queria e não falou do que não queria. (...)
»

Dia 15

João Tomaz - Colunista de 'O Benfica'; «(...) Mas falemos de assuntos sérios: O Sport Lisboa e Benfica é tricampeão nacional de Voleibol naquela que é a nossa melhor época de sempre na modalidade. Campeonato Nacional, Taça de Portugal, Supertaça e presença na final de uma competição europeia... É do ADN glorioso! A contagem de títulos e troféus prossegue a bom ritmo. Só nos seniores masculinos das modalidades de pavilhão, atletismo e futebol, já vamos em catorze. Os restantes clubes, em conjunto, somam cinco. A "maior potência desportiva nacional", o Sporting (pausa para gargalhada), conquistou dois, enquanto F.C. Porto, Valongo e ABC têm um cada. »

José Ribeiro - Editor-Chefe do Record; «O FC Porto inaugurou recentemente uma nova forma de destilar ódios. Chamam-lhe comunicação, mas o panfleto eletrónico, em rigor, não comunica. Serve apenas como arma de arremesso contra tudo o que os dragões entenderem e nos últimos dias tem-se dedicado sobretudo a tentar manchar o provável 34.º título do Benfica. A escalada de agressividade não pára, seja contra árbitros ou contra quem os nomeia, passando por cima das próprias palavras de Pinto da Costa que ainda há poucas semanas dizia que estar sempre a falar de arbitragens "é ridículo e estúpido". Só que no momento em que o disse, o líder portista ainda acreditava que o título seria azul e branco. Talvez por isso não mostre atualmente qualquer incómodo com aquilo que se escreve no "Dragões Diário". (...) »

Sílvio Cervan - V.P. do SLB em A Bola; «(...) Uma palavra final para o voleibol do Benfica e para a sua época de sonho. Quando acabou o jogo com o Penafiel as atenções estavam todas nos Açores. José Jardim conseguiu um feito único, Supertaça, Taça de Portugal, e campeonato nacional ganho na negra em casa do adversário e uma final Europeia. O Voleibol está de parabéns (muito bom o Bastardo) e o do Benfica fez algo de verdadeiramente fantástico.
Para quem, como Rui Mourinha e José Jardim, passaram tantas dificuldades no passado para impor a modalidade no clube, esta é uma estrondosa vitória e um merecido prémio. Esta vitória é celebrada por todos os verdadeiros benfiquistas, e tem um toque de justa desforra do título perdido para o mesmo adversário há poucos anos. Este ecletismo vencedor que o Benfica ostenta é motivo de orgulho. Depois do hóquei em patins e do voleibol, haverá certamente mais. O ecletismo no Benfica não é um panfleto é um palco de títulos.
»

SIGA-NOS NO TWITTER AMIGO ON FACEBOOK REENCAMINHE PARA UM AMIGO
Copyright © *|CURRENT_YEAR|* *|LIST:COMPANY|*, All rights reserved.
*|IFNOT:ARCHIVE_PAGE|* *|LIST:DESCRIPTION|*
Remover | Preferências 
*|IF:REWARDS|* *|HTML:REWARDS|* *|END:IF|*