Não consegue ver correctamente? Abra no Browser.

Newsletter N.º 257

Prosseguiu a pré-época das equipas e as três maiores tiveram, como seria normal, diferentes prestações obtendo resultados mistos sem que isso possa ser interpretado como dados seguros dada a diferente categoria dos adversários. Para além das condições propriamente ditas.
O FC Porto alternou resultados e exibições satisfatórias com outras menos conseguidas e o Sporting "repetiu" o Benfica da 2.ª época de Jesus.
Quanto ao Benfica e como era expectável para os mais atentos, as exibições e os resultados não foram entusiasmantes.
Em resumo, vamos ter que aguardar para ver quando a época começar a sério o que acontece já no Domingo com a disputa da Supertaça onde se espera, como é natural, uma vitória do Benfica. Apesar de todas as diatribes de Jesus...


Dia 1

José António Saraiva - Director do SOL, no Record; «(...) Subitamente, porém, há um ano, a estratégia do Porto inverteu-se. Aparentemente por influência de Lopetegui, o clube começou a contratar jogadores caríssimos, sem margem para proporcionarem bons negócios. Casemiro, Adrián López, Oliver e Tello são exemplos desta inversão estratégica - que este ano prosseguiu com a compra milionária de futebolistas como Imbula ou a contratação de veteranos como Casillas e Maxi Pereira.
Foi preciso Pinto da Costa chegar aos 77 anos para mudar de rumo. Ainda por cima, por influência de um treinador espanhol que até hoje não ganhou nada. Mas que conseguiu uma coisa importantíssima: ganhou ascendente sobre o velho presidente. E agora, para ambos, é o tudo ou nada: ou fazem uma época em cheio - ou caem os dois juntos.
»

Leonor Pinhão - Adepta benfiquista, no Record; «Em primeiro lugar, porque não é todos os dias que uma pessoa pode desejar felicidades a um superagente, o que nos remete para a literatura de espionagem do tempo da guerra fria. Em segundo lugar, porque quanto mais feliz estiver o superagente mais depressa se acabam os bailes, a insensatez das pirâmides de camarão, as conversas intermináveis sempre à volta dos mesmos assuntos os confetti a esvoaçar ao sabor da fumarada dos charutos, as solicitações dos amigos para só mais uma fotografia. Quanto mais depressa se acabar tudo isto, melhor.
Este casamento de Jorge Mendes a uma semana do início da temporada oficial, já deu cabo de uma família, e logo a minha, a família benfiquista que desespera por ver entrar em ação com reforços atrás de reforços este noivo que, de tão afadigado com os preparativos da festa, não tem tido tempo para olhar para assuntos de muito maior importância. Até ao dia 9 de agosto vamo-nos entretendo com estas coisitas, está bem?
»

Vítor Serpa - Director de A Bola; «(...) Falemos por fim do terceiro problema sério de Rui Vitória: Gaitán. O mais provável é Gaitán sair. Se isso acontecer, é difícil pensar que tudo se resolverá, apenas, com a prata da casa, mas também é verdade que, libertando dinheiro, o Benfica pode tomar decisões numa lógica de prioridades e essa deverá passar pelo(s) ponta(s) de lança e pelo lateral... ou laterais.
Mas pode dar-se o caso do mercado ficar, de repente, bloqueado e isso impedir a saída de Gaitán. Pode ficar-se com a ideia de que seria bom para Rui Vitória. Não sei se seria. A História do futebol moderno está cheia de casos problemáticos de jogadores que ficam contrariados e deixam de valer o que antes valiam.
»

Dia 2

Rogério Azevedo - Jornalista de A Bola; «As pré-épocas são chatas. Há muitos estreantes e, sobretudo, demasiadas substituições. Os resultados interessam para rigorosamente nada. Há çinco anos, por exemplo, o FC Porto de André Villas Boas teve resultados sofríveis nesta fase, terminando-a com duas derrotas: 0-1 com o PSG e 1-2 com o Bordéus. O Benfica, ao invés, vindo do primeiro título de Jorge Jesus, andou a ganhar com tranquilidade: 3-2 ao Mónaco, 2-0 ao Sunderland, 4-1 ao Feyenoord, 4-0 ao Aston Villa. Perdeu, é certo, na Eusébio Cup: 0-1 frente ao Tottenham de Gareth Bale, Luka Modric e Peter Crouch. Mas quando a Supertaça Cândido de Oliveira chegou, a 7 de agosto de 2010, o prato da balança parecia completamente inclinado para o lado das águias. Em Aveiro, porém, provou-se que uma coisa são as pré-épocas, outra são os jogos a sério: 2-0 para o FC Porto e clara superioridade dos azuis-e-brancos. O resto da temporada confirmaria a tendência da Supertaça: Campeonato Nacional, Taça de Portugal e Liga Europa a entrarem no museu dos dragões. (...)»

Vanda Cipriano - Editora do Record; «(...) Esta é uma fase de testes nas equipas e a de Rui Vitória não é uma exceção. Os jovens que estão na América do Norte com o Benfica já valorizaram apenas por estarem na equipa principal. O treinador do Benfica já deixou claro que tudo tem um tempo e os "miúdos" precisam dele. Rui Vitória propõe-se a um desafio novo na Luz e sabe que, em caso de sucesso, pode ficar na história. Tem de conquistar resultados, e para isso precisa de uma equipa equilibrada, é um facto. Mas se conseguir potenciar os jovens da formação encarnada e transformá-los em figuras de primeiro plano do futebol português, será uma vitória sem precedentes no clube. E pode abrir um novo caminho na política de mercado das águias. Desejado por todos, estrutura e adeptos, no clube. »

Vítor Baía - Ex-Jogador do FC Porto; «(...) Casillas, Maxi, Imbula, Danilo Pereira, Sérgio Oliveira, André André, Alberto Bueno e, provavelmente, Pablo Osvaldo, são os reforços de um dragão sedento de títulos e que ainda pode atacar mais um médio ofensivo e um defesa-central. João Pereira, Naldo, Ciani, Bryan Ruiz e Teo Gutierrez são, para já, as novas caras de um leão reanimado pela entrada de Jorge Jesus em Alvalade. Aconteça o que acontecer, parecem apostas fortíssimas de parte a parte, num ano em que a expectativa pelo arranque da Liga está a atingir patamares sem precedentes e tudo isto, claro está, pode e deve contribuir para uma subida do nível global da competição. Todos sentimos falta do jogo jogado! Da emoção dos adeptos! Da entrega dos profissionais no relvado! Da incerteza no marcador! Ponham a bola a rolar... »

Dia 3

Alexandre Pais - Ex-Director do Record; «(...) Entretanto, tudo parece correr bem ao Sporting, que venceu cinco das seis partidas que disputou, tendo naquela em que empatou obtido vantagem nas grandes penalidades - mais um fantasma da casa que Jesus começou a exorcizar. E no sábado, perante o vice-campeão italiano, o resultado foi bom, talvez melhor do que o esperado, e o rendimento global da equipa correspondeu às expectativas - a solidez da defesa, por exemplo, foi já bastante apreciável. Estas entradas de leão servem para alguma coisa? De facto, não, até porque sabemos que sempre haverá saídas de sendeiro. Num dérbi, não existe favorito e qualquer dos rivais pode levar a Supertaça. Mas que vemos entusiasmo de um lado e narizes torcidos do outro, lá isso é verdade.»

Hermínio Loureiro - VP da FPF em A Bola; «(...) A autarquia de Aveiro tem aqui mais um problema relativamente ao Estádio Municipal construído para o Euro 2004 e que nunca entrou no coração dos aveirenses. O Beira-Mar vai jogar na II Divisão distrital da Associação Futebol de Aveiro, regressando ao velhinho Mário Duarte que está a ser recuperado por uma equipa de voluntários que todos os dias trabalha para criar condições de utilização desportiva.
Por vezes nos clubes aparecem uns vendedores de banha da cobra que oferecem o que não podem, criando uma ilusão que é muitas vezes fatal. Pelo meio da aventura estrangeira alguns terão somado muito dinheiro, mas o resultado final é o regresso às origens após história gloriosa com 93 anos. Acredito na refundação deste clube e estou certo que as forças vivas da região saberão dar as mãos e ajudar o Beira-Mar a regressar rapidamente a tempos de glória. Que sirva de exemplo para outros!
»

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «Escrevo desconhecendo se, já quase ao findar da madrugada pelo nosso fuso horário, o Benfica conseguiu ter fecho de pré-época com qualidade idêntica àquela, muito positiva, mostrada por Sporting (2-0 perante a Roma) e FC Porto (3-0 ao Stoke City). Por muito que Rui Vitória venha dizendo estar tranquilo e razoavelmente satisfeito, só resultado e/ou exibição na Taça Eusébio bem acima dos 4 primeiros jogos pode(m) aliviar rugas de preocupação no novo treinador já a uma semana da Supertaça Cândido de Oliveira e apenas a duas de o campeonato arrancar. Esta digressão pelas Américas, financeiramente rentável, poderá ter muito que se lhe diga quanto a preparação da temporada. (...)»

Dia 4

Joaquim Evangelista - Presidente do SJPF no Record; «A cruzada do Gil Vicente contra os incumpridores e pela igualdade desportiva, independentemente dos motivos e do timing, aplaude-se e suscita reflexão. Existem clubes/SAD que, aproveitando-se da ausência de regras adequadas quanto ao acesso, controlo e sancionamento, ofendem a integridade das competições e o direito ao salário dos jogadores. Sendo o futebol uma atividade empresarial regulada, que gera milhões, com impacto social, é aceitável que os infratores sejam beneficiados e coloquem em causa a credibilidade da competição? Não.
Se é certo que devemos ajudar os que, pontualmente, têm dificuldades, não é menos verdade que devem ser punidos e erradicados os que, reiteradamente, incumprem. Fazem-no escudados em clubes históricos que veem o seu património delapidado. Acresce que não pagando, beneficiam de todas as vantagens de quem paga, nomeadamente da atividade do jogador e da sua imagem, bem como dos demais proveitos. Inaceitável. (...)
»

Pedro Adão e Silva - Professor Universitário no Record; «Uma das fatalidades da idade adulta é perdermos a sensação de que podemos começar de novo. "Não temos mais princípios", definiu com acuidade George Steiner, dando corpo a um sentimento de perda de esperança e de declínio da criatividade nas nossas sociedades. Talvez no contraponto a esta impressão de declínio se encontre a resposta para o deslumbre e a paixão gerados pelo futebol. No futebol temos sempre mais princípios e as novas épocas iniciam-se em rutura com as anteriores. De pouco serve a glória de vitórias passadas ou as taças erguidas há um par de meses. Agora, nada disso existe. Penso, claro está, no "nosso Benfica", mas a verdade é válida para todos os clubes. Este novo princípio tem consequências desportivas e exige dos jogadores uma atitude competitiva permanente, mas vale em igual medida para os adeptos. (...)»

Sidónio Serpa - Professor Universitário, em A Bola; «A foto do ditador Francisco Franco em camisola usada por um futebolista português na apresentação aos adeptos de uma equipa espanhola gerou intensa reacção. Certamente surpreendido com as consequências da escolha que acreditou adequada e favorecer o seu visual, confessou o desconhecimento da História de Espanha e do Generalíssimo que governou o país 35 anos, até 1973 que não é assim tão longínquo... Na verdade, tal desconhecimento não se aplica apenas à Nação que escolheu para o exercício da profissão, mas também a um período fundamental da História da Europa com profundas implicações em Portugal. (...)»

Dia 5

Carlos Cardoso - Presidente da CDP em A Bola; «(...) A ARD clama ter conseguido acesso a informação confidencial da própria IAAF sobre os 11 anos que mediaram entre 2001 (refira-se que apenas em 2000 foi desenvolvido um protocolo científico capaz de detetar a EPO e, portanto, só então se iniciaram os testes sanguíneos) e os Jogos Olímpicos de Londres-2012. Segundo a ARD, num conjunto de 12359 testes sanguíneos, realizados a mais de 5000 atletas, existem mais de 800 que sugerem, note-se sugerem, uma elevada probabilidade da existência de doping ou, pelo menos, devem ser considerados anormais. A maior incidência de anormalidade ocorre nas provas de meio fundo, fundo e marcha, nas quais, a percentagem atinge os 33 por cento. Recorde-se que a mesma cadeia televisiva, em Dezembro, apresentara um documentário em que acusava, então, objetivamente, atletas russos. Os dados enviados para Comissão Independente da Agência Mundial Antidopagem provocaram a suspensão de diversos atletas e ao consequente pedido de demissão do cargo de Tesoureiro da IAAF, do então presidente da Federação Russa de Atletismo. Aliás na lista dos países eticamente menos limpos, na qual Portugal ocupa um muito pouco honroso 18.º lugar (8 casos de doping sanguíneo), a Rússia surge no topo da lista com 30 casos, seguido da Ucrânia com 28 e da Turquia com 27! Irão aquelas reportagens a tempo de refrear alguma falta de ética em Pequim?»

Nélson Feiteirona - Jornalista de A Bola; «Esta temporada promete e ou muito me engano ou o grande desafio de Pedro Proença, o novo presidente da Liga, vai ser o de encontrar forma de coroar campeã não apenas uma, mas duas ou três equipas. O FC Porto não pode não ser campeão, depois de ter comprado Casillas, Imbula, Pablo Osvaldo, Maxi Pereira e outros que estão a chegar, que não me parece que Lopetegui já esteja satisfeito. O Sporting está proibido de falhar o título, uma vez que apostou forte e comprou Jorge Jesus, Bryan Ruiz, Naldo, Teófilo Gutiérrez, mais João Pereira, Kevin-Prince Boateng, não desiste de Mitroglou e a caminho pode estar ainda mais ou outra surpresa para o lugar de médio defensivo. O Benfica... bem, o Benfica ainda não comprou ninguém com nome forte, mas aposto que, com uma ajudinha do superempresário Jorge Mendes, em duas semanitas, se calhar depois depois de jogar e se assustar na Supertaça com o Sporting, compra três ou quatro jogadores e reentra mais firme na recandidatura ao tricampeonato. (...)»

Octávio Ribeiro - Director do ; «Estamos no aquecimento de motores para o grande jogo do próximo domingo (no caso do Benfica é mais arrefecimento, depois de demasiado calor e altitude). Os resultados e a confiança que geram fazem pender o favoritismo para o lado do Sporting. Porém, os resultados na pré-época podem ser muito enganadores. Veja-se o último jogo do Benfica por terras do México: a equipa encarnada apareceu sólida com boa circulação de bola e uma assinalável capacidade para pressionar alto. Na primeira parte o Benfica podia ter marcado vários golos em lances de Jonas e Gaitán. A defesa mostrou solidez (Júlio César está já em grande forma), a bola circulou rápido do centro para as alas. Vários tiros de longa distância passaram a escassos centímetros do golo. Luisão saiu aos 39 minutos. Samaris que o substituiu, já aquecia há algum tempo. Durante os últimos lances em campo, não foi visível no capitão qualquer incapacidade para disputar os lances. Sem pretensões a fazer diagnósticos médicos, quase apostaria que Luisão vai estar apto para domingo. (...) »

Dia 6

Bagão Félix - Adepto benfiquista em A Bola; «(...) Fosse apenas a dimensão das manchetes na comunicação social (incluindo este jornal) e o vencedor já estaria encontrado, assim se 'castigando' o Benfica porque, este ano, não foi (ainda bem, digo eu) o abono de família das notícias, rumores, especulações sobre cinquenta jogadores que entram e vinte que saem. Ao invés,o Sporting permitiu uma exuberância apoplética de retumbantes movimentos e o Porto ajudou à festa com Casillas, Sara Carbonero e Pereira. Todavia, mandam as regras da competição que tenha mesmo que se jogar. E, assim sendo, o quase inútil Estádio do Algarve, depois de ser hospedeiro da selecção de Gibraltar, volta a encher com este grande jogo, agora numa versão superior dos Torneios do Guadiana. »

Nuno Farinha - Director-Adjunto do Record; «(...) E ontem mais duas más notícias: Boateng deixou de ser hipótese quando parecia que só faltava pôr o cachecol dos leões ao pescoço; e Mitroglou - com quem o Sporting tentava entender-se há muito tempo - acabou por ser desviado para a Luz. Houve ainda, entretanto, um aparente erro de casting com Ciani, que chegou há dias e já parece estar de saída.
Fica agora por saber o alcance da forte aposta num médio de 19 anos. Não está em causa o valor de Bruno Paulista, mas, ainda assim, 3,5 milhões de euros por uma promessa do futebol brasileiro que vai disputar uma vaga num sector onde existem tantos e tão elogiados produtos da formação (William Carvalho, Adrien, Wallison, Ruben Semedo, André Martins) é assunto que pode justificar reflexão. Mas ou muito me engano ou o mercado ainda ditará muitas mexidas em Alvalade. Veremos.
»

Nuno Santos - Jornalista, no Record; «(...) Os benfiquistas interrogam-se - É caso para alarme? Comparam os números desta pré-época com os números de outras pré-épocas, desde logo a do ano passado, e procuram diferenças e semelhanças. Estará o Benfica pior? A resposta é sim e é preciso ter em conta que, apesar da boa campanha interna, o Benfica da época passada foi já o Benfica mais fraco, senão nos resultados na qualidade do plantel dos últimos (seis) anos. O horizonte temporal não é aqui uma questão menor: Luís Filipe Vieira, nunca deixando de vender, deu sempre ao treinador plantéis fortes e equilibrados. Há um ano por esta altura e com a equipa campeã a desmembrar-se - saíram Oblak, Garay, Siqueira, Markovic e outros - o Benfica de Jorge Jesus fez das tripas coração e viu chegar já no fecho do mercado duas peças que seriam centrais para a conquista do bicampeonato: Júlio César e Jonas. Este ano as perdas são em menor escala, mas as entradas também não adiantam nem atrasam e a "formação" é apenas uma linda declaração de intenções. Vieira olha de forma tranquila para a agitação em Alvalade e no Dragão, que acha anacrónica porque os tempos são de contenção. Uma vitória no domingo dá-lhe razão, uma derrota vai ser o cabo dos trabalhos. »

Dia 7

António Magalhães - Director do Record; « A três dias do primeiro duelo da época, Jesus atacou Rui Vitória. Deselegante, desproporcionado, desnecessário são algumas das considerações que se podem fazer sobre o momento, mas a atitude não surpreende. Jesus tem o hábito de dizer aquilo que pensa e sente-se com autoridade moral para falar do Benfica.
SE a forma, embora não sendo a mais correta, tem muito a ver com a personalidade de Jesus, já o conteúdo pode ser discutido. A verdade é que Rui Vitória mudou alguns traços da equipa que herdou, acreditando-se que mude mais com o decorrer do tempo. Do onze titular saíram dois jogadores, pelo que é natural que a equipa mantenha rotinas que adquiriu ao longo dos últimos anos. Uma coisa é certa: o duelo da Supertaça ganhou, agora, mais "picante". (...)
»

José Manuel Delgado - Sub-Director de A Bola; «Jorge Jesus mudou de lado na Segunda Circular. Mas continua igual ao que sempre foi. Por isso, não vale a pena aos benfiquistas indignarem-se pelas declarações do treinador do Sporting, muito menos aos adeptos dos leões aplaudirem agora o que antes verberavam. A verdade segundo Jesus é simples: na Luz, nada mudou, apenas o cérebro já lá não mora; e em Alvalade foi preciso dar uma volta de 180 graus, o que não abona ao trabalho entretanto por lá realizado... Mas Jorge Jesus é assim mesmo, para o bem e para o mal e é por essas e por outras que estamos perante uma personagem complexa e muito interessante.
Quem quiser ter um pouco de memória, decerto se lembrará como Jorge Jesus chamou a si os louros da primeira época de Domingos Paciência em Braga. Tratando-se da mesma pessoa, seria de estranhar que, depois de seis anos de bom trabalho no Benfica, não viesse reivindicar os direitos de autor pela equipa orientada por Rui Vitória. (...)
»

Ricardo Santos - Colunista de 'O Benfica'; «(...) De calções e chinelos no pé, são também eles os mestres da tática, os suprasumos do mercado de verão, os melhores olheiros do planeta. Ficam acordados noite dentro para ver os jogos-treino, disputados a feijões, e poder dizer mal assim que o árbitro apita para o fim. Desdenham das novas contratações, arrasam os novos valores que subiram dos Juniores e da equipa B, atiçam o povo contra o novo treinador. O normal, portanto. Foi assim na pré-época passada quando o SL Benfica foi despachado sem apelo nem agravo na Emirates Cup.
Dizem-se Benfiquistas, mas são-no pouco. Estão ao nível do uruguaio Mini Pereira, que se vendeu por um prato de lentilhas e dentro em breve estará a terminar carreira no mais completo anonimato. Têm aquela síndrome de pequenez típica dos sportinguistas, só olham para o quintal do vizinho para ver se a vaca está mais gorda ou se a relva mais bem cuidada. Invejam a contratação de Franguillas, sonham com os milhões fictícios de um qualquer banco amigo e estão à espera de domingo à noite para dizerem: "Eu bem vos avisei".
Estão enganados. E vão ter que meter a viola no saco. Carrega, Benfica!
»

SIGA-NOS NO TWITTER AMIGO ON FACEBOOK REENCAMINHE PARA UM AMIGO
Copyright © *|CURRENT_YEAR|* *|LIST:COMPANY|*, All rights reserved.
*|IFNOT:ARCHIVE_PAGE|* *|LIST:DESCRIPTION|*
Remover | Preferências 
*|IF:REWARDS|* *|HTML:REWARDS|* *|END:IF|*