Não consegue ver correctamente? Abra no Browser.

Newsletter N.º 270

9.ª jornada com algumas nuances: o Benfica venceu tranquilamente o Tondela em Aveiro, e o FC Porto teve que voltar para trás devido aos ventos fortes na Madeira. Mas que coincidência; 2 jogos do União "em casa", os dois adiados com custos elevados - financeiros e de agenda. O Sporting viu-se, e desejou-se, para vencer o Estoril pela diferença mínima e ainda por cima através de uma grande penalidade que resultou de um fora de jogo claro do seu marcador. Compensou a estratégia do adepto-presidente de pressionar o árbitro...

Normalidade nas modalidades onde todas venceram mais uma vez.

Nova ronda europeia com a curiosidade das equipas da Champions terem vencido e as da Liga Europa terem sido todas derrotadas, com particular destaque para o Sporting que foi humilhado na Albânia. Pois é, o campeonato é que é...
Nesse domínio, nova jornada (a 10.ª) que decorreu de forma normal, sendo que o Sporting voltou a ser beneficiado por erros de arbitragem. Mas no facebook do "adepto-presidente", nada. Depois do alarido agora silêncio?


Dia 31 de Outubro

Fernando Guerra - Sub-Director de A Bola; «(...) Talvez sim, talvez não, porque, em rigor, o adversário de ontem, por inultrapassáveis limitações, só serviu para orientar Rui Vitória no seu caminho e fazer-lhe perceber que, em função da ameaça de um cenário de crise, não há espaço para condescender com inadaptações, inexperiências ou desculpas similares. O grau de exigência deve ser elevado e jovem a quem lhe é oferecida uma oportunidade na formação principal tem que fazer por merecê-la, de maneira a livrar-se de voltar para o fim da fila... de espera. Sem desempenhos individuais no limite máximo será muito difícil à águia anular a desvantagem pontual para leão e dragão. (...)»

José António Saraiva - Director do ; «(...) A questão é que o rendimento dos jogadores depende muito do coletivo - e o coletivo depende do treinador. Um exemplo: no ano passado, Jesus adaptou Pizzi para substituir Enzo, e ele acabou por fazer bem o lugar. Ora Pizzi este ano quase não joga...
O problema de Rui Vitória não é o plantel - é jogar num sistema que não domina. Vitória conhece bem o 4X3X3 mas joga em 4X4X2. Porquê? Talvez por opção própria, talvez por pressão dos principais jogadores. Mas enquanto este equívoco não for resolvido, os resultados do Benfica serão sempre uma caixa de surpresas.
»

Leonor Pinhão - Jornalista, no Record; «(...) Foi notoriamente mal interpretada a frase do presidente do Benfica apelando a incertos para que "se deixem de fascinar por microfones". A imprensa logo concluiu que Luís Filipe Vieira estava por fim a mandar recados para o vizinho do fim da rua quando, lamento, me quis parecer justamente o contrário, que o presidente do Benfica estava simplesmente a falar para dentro de casa.
São de apreciar os jogadores que aproveitam as oportunidades concedidas para marcar posição. Como este Carcela que, a cada fugaz aparição, lá vai marcando o seu golinho. E é de golos que o Benfica precisa.
»

Dia 1 de Novembro

Fernando Seara - Adepto Benfiquista, em A Bola; «(...) E também a tragédia! E perante aquela necessidade, que em alguns é quotidiana e em outros tem momentos semanais, o Benfica deve ser seletivo nas suas opiniões e nas suas críticas. O Benfica, e bem, deve assumir o silêncio que perturba em vez dos sons que confundem. O Benfica, e bem, deve chutar para canto e assobiar para o lado. Como perturba o silêncio e o assobio sem destinatário. Mas sem prejuízo da legitimidade de alguns benfiquistas deixarem sair, na sua voz alta ou com a sua alta voz, o que lhes vai mesmo no fundo da sua alma imensa. O Benfica sabe que já perdeu jogos importantes e que alcançou vitórias entusiasmantes, como a de Madrid. O Benfica sabe que a aliança de contrários o tentará perturbar. O Benfica sabe bem que «a bola não admite truques, só efeitos sublimes».(...)»

Paulo Futre - Antigo Internacional, jornal Record, 1 de Novembro de 2015.; «(...) Em Portugal a história é igual. Para triunfares no Benfica, Sporting e Porto, tens de ser um autêntico campeão. Por isso, tenho de destacar a raça e o talento dos miúdos que estão aparecer. No Benfica, por exemplo, o Nélson Semedo está a ser a grande revelação do campeonato. Se não tiver nenhuma lesão grave e continuar a crescer futebolisticamente, pode vir a ser um dos melhores laterais-direitos de sempre do futebol português. Outro que me está a encher as medidas é o Gonçalo Guedes, que tem três virtudes de grande craque: talento, classe e caráter. Por último, o Victor Andrade. Bastou um jogo para demonstrar que tem o talento e especialmente a velocidade dos grandes extremos. No Sporting estão dois casos sérios que têm tudo para serem craques e, como não podia deixar de ser, são ambos extremos. Falo do Gelson Martins e do Matheus Pereira. Já no FC Porto, após um ano de adaptação, o Rúben Neves surge agora, com 18 anos, a rebentar com tudo. Ainda é cedo, mas todos eles já mostraram que têm condições para se afirmarem na primeira equipa dos seus clubes. (...)»

Vítor Baía - Antigo Internacional, no Record; «(...) O Benfica, apesar de bons pormenores em alguns jogos importantes e de se notar um crescimento desde o início da época, caiu de forma estrondosa no dérbi. Será motivo para alarme? Não creio. A aposta nos jovens segue de forma sólida e segura, o rumo está bem definido, a campanha na Champions tem sido positiva e nada está perdido na Liga.
Quanto ao FC Porto, demonstra uma irregularidade difícil de compreender. É certo que está bem na Champions e junto ao Sporting, mas desperdiçou a oportunidade de manter a liderança e fugir ao Benfica, não conseguindo marcar no Dragão a um Sp. Braga desfalcado. Não é um escorregão fácil de justificar... O FC Porto não é líder isolado desde os tempos de Paulo Fonseca. Não estará na altura de colocar o clube no seu legítimo lugar? Os adeptos merecem isso e muito mais... (...)
»

Dia 2

Alberto do Rosário - Consultor, no Record; «(...) Como os deuses não estão sempre de feição, o Sporting vai precisar de muito mais do que acreditar. O percurso é longo, faltam muitos jogos de dureza alta, exponenciada pelo desejo de todos os clubes fazerem ajoelhar o líder. Coisa com sabor especial, um clássico. Para seguir vitorioso, o leão tem de fazer melhor, muito melhor, do que foi capaz nesta última partida frente aos canarinhos. E a fé leonina é do tamanho do céu.
Infinito, infinito mesmo, são as nuvens que assombram a verdade desportiva. Marco Ferreira falou alto, falou grave. E não acontece nada? Neste âmbito é que não há sermão nem fé que resistam.
»

Hermínio Loureiro - V.P. da FPF em A Bola; «(...) Portugal tem que estar atento e empenhado nesta candidatura para ver reconhecida a força e influência do futebol português onde Fernando Gomes, Tiago Craveiro, Cunha Rodrigues e José Luís Arnaut se destacam no plano internacional com o respeito dos outros países pela competência, dedicação e profissionalismo nas missões que lhes são distribuídas. Quem foi recentemente nomeado para integrar o grupo de alto nível da União Europeia para o desporto amador foi Alexandre Mestre, esperando que possa prestigiar o nome de Portugal.
Muito feio é o que se passa na MOTO GP entre Valentino Rossi e Marc Márquez, que se transformou numa guerra Itália/Espanha. Sou fã de Rossi e acho que é o melhor do mundo, mas terá que ter cada vez mais cuidado com a armada espanhola que procura retirar a qualquer custo o Rei do trono.
Espero que Rossi se aguente...
»

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «(...) Para além da praga meteorológica que teima em adiar jogos em casa do União da Madeira (complicou calendário do Benfica e do FC Porto e vai quebrando ritmo competitivo a equipa recém-chegada à I Liga), escasso relevo para os jogos na nossa Liga, Marítimo alcançou, no Bessa, o 1º êxito fora de casa, pulando para o meio da tabela. Rio Ave, com 5.º triunfo em 9 jornadas (só pelo Sporting derrotado), mantém-se à frente do SC Braga... no despique por campeão dos pequenos (onde hoje poderá prosseguir o P. Ferreira), Arouca arrancou em Setúbal 4.º empate em casa alheia (uma vitória, nenhum desaire como visitante), Académica e Moreirense, os dois últimos, neutralizaram-se em Coimbra.
O que se passou no avião onde iam adeptos do FC Porto rumo a Istambul, de passagem para Telavive, é mais uma enorme nódoa nas claques de equipas portuguesas.
»

Dia 3

Jornal A Bola - Jornal A Bola; «Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, aceitou o desafio que lhe foi lançado por Sérgio Marques, homólogo do Sport Bissau e Benfica, e fará visita aos adeptos encarnados da Guiné, entre os dias 11 e 13. Pedro Mantorras e Nuno Gomes seguem na comitiva e terão oportunidade de inaugurar a Escola de Futebol Benfica, que terá mais de 400 crianças.
Luís Filipe Vieira aproveitará para fazer uma homenagem ao Benfica de Bissau que na época passada foi campeão e ganhou a Taça da Guiné.
»

Nuno Farinha - Director-Adjunto do Record; «(...) No ano da grande mudança e no momento em que Luís Filipe Vieira decide impor o novo paradigma, a qualificação para os - oitavos - não deixaria de constituir um forte estímulo para esta nova fase. Ter êxito na competição em que Jorge Jesus falhou seria também uma pequena vingança para Rui Vitória. É fundamental. para isso, que as coisas corram bem esta noite. A derrota com o Sporting foi feia, mas há quem defenda que a exibição com o Tondela foi ainda mais preocupante. E é isso que está a inquietar alguns espíritos na Luz. »

Pedro Adão e Silva - Professor Universitário, no Record; «(...) Desculpem-me o regresso à derrota do Benfica às mãos do Sporting, mas estive em Alvalade nos 7-1 e sei que não devemos contornar as experiências traumáticas, temos de enfrentá-las. Neste trauma que ainda está bem vivo, a meio do jogo, o meu filho, que nos anos que leva de bancada da Luz nunca havia visto nada assim, disse-me, meio a medo, "não quero estar aqui". Expliquei-lhe que não se abandona as bancadas antes do fim.
É uma questão de princípio e uma experiência formativa. Sem a sensação singular de vivermos as derrotas e de deixarmos que elas se entranhem, não sofreríamos da mesma forma pelo nosso clube. Mais importante, com as vitórias e os abraços emocionados nos golos, está claro, quebramos o silêncio, aproximamo-nos. Já nas derrotas dolorosas, aprendemos a sofrer em conjunto. O que faz muita falta no resto da vida que fica fora dos estádios.
»

Dia 9

Alberto do Rosário - Consultor, no Record; «Com Jorge Jesus, o Sporting arrasta-se pelos campos da Europa, com o merecido brinde na humilhação que engoliu na Albânia. Uma cabazada de três sem resposta. Estes tristes resultados envergonham o Sporting e envergonham o futebol português.
Estas negligentes campanhas europeias aniquilam o já pouco prestígio internacional do Sporting, fazem perder dinheiro - ou será que de repente ficou rico? - e não é tolerável para um grande de Portugal fazer estas figuras frente a um clube de quinta ou sexta linha da Europa. Há mínimos. (...)
»

António Magalhães - Director do Record; «(...) Foi preciso esperar quase até ao fim para o Sporting conseguir os três pontos. Já estava então reduzido a dez jogadores e tinha escapado à marcação de um penálti de Naldo sobre Adilson. Foi, pois, com muita alma e coração (e estrelinha. claro!) que o leão fez a sua prova de líder, conservando vantagem confortável sobre os seus rivais e olha já para a ronda seguinte com dose reforçada de confiança: joga em casa (com o Belenenses), enquanto FC Porto e Benfica vão fora, sendo que a deslocação do bicampeão a Braga torna-se, desde já, um dos momentos-chave para a equipa de Vitória esta época. (...)»

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «(...) Estava o pano já a fechar, Slimani evitou mergulho sportinguista num caldo entornadíssimo: perder liderança do campeonato de enfiada à vergonha do resultado e da atuação perante muito fracos albaneses (e ter apresentado a reserva não é desculpa, foi pura opção... que muito provavelmente irá afastar o Sporting da Liga Europa depois do adeus à Champions...)
Slimani resolveu... quando já ninguém acreditava ser possível. Também Aboubakar acabou por conseguir resolver quando o Dragão já subia a parada de carga nervosa. Dá imenso jeito ter ponta de lança goleador... O Benfica deve andar matutando nisso...
Miguel Oliveira vice-campeão do mundo em Moto3. Muito talento, grande determinação, lutando pelo título até ao fim da última corrida. Que ganhou, somando 6 vitórias neste Mundial. Aí está mais um craque no desporto português.
»

Dia 10

Joaquim Evangelista - Presidente do SJPF, no Record; «Pressão para ganhar, resultados combinados, lesões, doping, opções do treinador, problemas familiares, todas estas vicissitudes da profissão e da vida levam a que muitas vezes os jogadores não estejam preparados para superar tantas adversidades e consigam manter o rendimento em campo e o equilíbrio fora dele.
Um estudo recente da FIFPro revela que um em cada quatro jogadores ressente-se da pressão da profissão. A depressão e a ansiedade são dois distúrbios muito sentidos por jogadores de futebol e, de acordo com a investigação, um quarto dos atletas sofre de depressão ou ansiedade, doenças que se manifestam com maior incidência quanto maior for a proximidade do final de carreira. Os resultados do estudo demonstram que 26% dos futebolistas sofre de depressão ou ansiedade e que 19% dos atletas acaba por desenvolver hábitos de excessivo consumo de álcool. Stress (10%), maus hábitos alimentares (26%), tabagismo (7%), esgotamento (5%) e baixos níveis de auto estima (3%) são outros dos grandes problemas que os futebolistas enfrentam. (...)
»

Sidónio Serpa - Professor Universitário, em A Bola; «(...) As sucessivas crises deixaram o Ateneu praticamente sem actividade nem capacidade de reformar as instalações centenárias do antigo Palácio da Anunciada do sec. XVI, na Baixa Lisboeta, que resistiu ao terramoto de 1755 e que foi adquirido ao Conde de Burnay em 1926. É verdade que as Instituições são organismos cuja vida se liga à evolução das necessidades sociais que levam à sua fundação. As dificuldades de adaptação podem determinar a morte. Mas será que se ajuda sempre as necessárias adaptações no respeito pela energia mobilizadora que a história institucional transporta? Ou será que os potenciais lucros de tão grande área numa zona nobre de Lisboa tem algum peso nesta situação?»

Vítor Serpa - Director de A Bola; «(...) A Federação internacional, liderada pelo britânico, e antigo campeão olímpico, Sebastian Coe já reagiu e, perante a extrema gravidade das acusações, parece admitir seguir a proposta da Agência antidopagem, mas, para já, pede algum tempo para digerir toda a informação e compreender todos os detalhes.
Um responsável pelo laboratório russo antidopagem limitou-se, entretanto, a fazer uma declaração pública, referindo que as acusações carecem de prova e o ministro russo do desporto, Vitali Moutko, lembra, apenas, que a AMA não tem poderes para suspender o atletismo russo de todas as provas internacionais.
Como se percebe, é toda uma tempestade que se abate sobre o atletismo russo, que poderá ficar fora da participação nos Jogos do Rio. E pior ainda: perante a convicção da Agência Mundial Antidopagem, de que se trata de uma «cultura de estado» para o desporto, dificilmente se admitirá que apenas o atletismo russo esteja viciado.
»

Dia 11

Jorge Barbosa - Editor-Chefe do Record; «(...) Os presidentes dos três mais importantes clubes têm de ter parte ativa neste processo, abstendo-se de atirar ainda mais lenha para a fogueira, mas também têm de saber controlar as suas máquinas de comunicação, que, refira-se, têm sido responsáveis por este ruído que tanto tem incomodado. É lamentável toda esta pólvora verbal, pois o futebol português já provou ter boas equipas e ótimos treinadores. Olhe-se apenas para a qualidade de Benfica, FC Porto e Sporting e sem esquecer ainda o Sp. Braga, pois no fim serão os méritos desportivos a decidir o próximo campeão, aliás como tem acontecido nas últimas épocas, com mais ou menos barulho....»

Nuno Perestrelo - Jornalista de A Bola; «(...) No fundo, o que este homem-que-só-quer-mandar-na-FIFA-se-o-chefe-Platini-não-puder está a dizer-nos é que temos de proteger os batoteiros, porque, coitados, é demais essa coisa do triplo castigo.
O que Infantino ainda não explicou é se a suspensão no jogo seguinte valerá caso o guarda-redes defenda o penalty. Ou se um jogador que recebe dois cartões amarelos por faltas a meio campo merece o triplo castigo (faltas, expulsão e suspensão).
Gostava de ouvi-lo dizer, isso sim, que o Futebol não gosta de batoteiros. Mas a atividade que repudia batoteiros chama-se desporto, não alta finança.
»

Octávio Ribeiro - Director do "C.M", no Record; «(...) Este apagamento madrileno de Ronaldo pode ser prenúncio de um épico final de época. Admitindo que o jogador, às portas do trigésimo primeiro aniversário, está a gerir o esforço, Fernando Santos poderá ser bafejado pela sorte de um Ronaldo mais folgado do que é habitual no momento das decisões nacionais. Zangado com Madrid e em busca do último grande contrato da carreira. França, será o palco certo para o esplendoroso canto de um dos mais elegantes cisnes que o futebol viu no seu primeiro século de grandes competições. A França tem no PSG o seu maior clube da atualidade. O gigante de Paris é dos únicos clubes europeus capaz de perder a cabeça e a carteira por um jogador balzaquiano. (...)»

SIGA-NOS NO TWITTER AMIGO ON FACEBOOK REENCAMINHE PARA UM AMIGO
Copyright © *|CURRENT_YEAR|* *|LIST:COMPANY|*, All rights reserved.
*|IFNOT:ARCHIVE_PAGE|* *|LIST:DESCRIPTION|*
Remover | Preferências 
*|IF:REWARDS|* *|HTML:REWARDS|* *|END:IF|*