Não consegue ver correctamente? Abra no Browser.

Newsletter N.º 231

19ª jornada começou com a vitória clara do Benfica sobre o Boavista. Mas, como não há bela sem senão, há a registar a lesão de Júlio César. Em Arouca o Sporting depois de um pequeno susto acabou por vencer tranquilamente e no Dragão, tal como aliás se esperava, surgiu um Paços de Ferreira em versão 'macia' o que conduziu à goleada.

Nas modalidades novas derrotas para o irregular Andebol e destaque para o Futsal e para o Basquetebol. Participação igualmente meritória do Atletismo.

Última jornada da Fase de Grupos da Taça da Liga; A muito questionável opção do Sporting ajudou ao seu não apuramento em detrimento do V. de Setúbal. Fica a lição.

E eis-nos chegado ao 'derby' dos 'derbies'. É naturalmente grande a expectativa sobre o que irá acontecer, até porque existem inúmeros interessados. A vitória do Benfica é o que se espera.


Dia 31 de Janeiro

Fernando Guerra - Sub-Director de A Bola; «(...) Uma coisa de cada vez, porém. Primeiro, é preciso que o Sporting desempenhe o seu papel com a necessária competência, dado não se esperar que águia e dragão, zangados com as derrotas na última jornada, e de trancas nas portas, esbanjem mais pontos ante adversários que têm dado conta do recado, não mais do que isso...
À espreita, Julen Lopetegui, na qualidade de anfitrião, deve ganhar ao seu colega Paulo Fonseca com relativa simplicidade e segue com justificado interesse o que se passa entre os grandes de Lisboa.
Apesar de olhar de cima para baixo, Jorge Jesus vai guardar Gaitán para Alvalade e tem Talisca condicionado, à beira de exclusão. Marco Silva foi mais previdente e 'limpou' as folhas de Nani e Jefferson. Prova de que o Sporting-Benfica do próximo dia 8 de fevereiro comanda as vidas dos dois treinadores...
»

Luís Pedro Sousa - Jornalista do Record; «(...) Tratou-se, afinal, de um mero acidente no percurso de um treinador a realizar uma época notável, se é que esta expressão pode transferir-se de jogadores para técnicos. Se o título de 2009/10 foi obtido por força da equipa de excelência de que o Benfica dispunha, com Ramires, Di Maria, Aimar e Saviola, entre outros; e o da época passada fruto da inspiração de Rodrigo e Enzo Pérez e da coesão defensiva que Garay e Siqueira ajudaram a garantir; o da temporada em curso, caso se confirme, terá indiscutivelmente um herói. Jesus consegue colocar Jardel a titular, jogar com um miolo remendado, um ataque que já conheceu melhores dias e sem que no banco existam alternativas indiscutíveis. Mesmo assim, leva 6 pontos de vantagem sobre um FC Porto que tem tudo do bom e do melhor... exceção feita ao treinador. (...)»

Vítor Serpa - Director de A Bola; «A Grécia votou na zebra, como diriam os brasileiros. Há meia dúzia de anos ninguém ousava pensar, sequer, na mera hipótese de um resultado eleitoral assim. O mundo reagiu com espanto e a Europa reagiu com raiva. Nós, por cá, ouvimos análises diversas. Algumas sérias, outras hilariantes. Em maioria, disfarçando o medo com a dúvida. No fundo, é de uma revolução que se trata. Uma revolução feita pelo voto do povo, o que é algo de muito raro nas sociedades e ainda mais raro na Europa democrática. É provável que a coisa não vingue, mas poucos se deram ao incómodo de tentar perceber por que aconteceu.»

Dia 1 de Fevereiro

Bernardo Ribeiro - Director-Adjunto do Record; «O Benfica cumpriu a obrigação e mostrou que o campeão está de boa saúde. A resposta que todos os benfiquistas aguardavam. O Boavista era, provavelmente, um dos melhores adversários que podia ter calhado em sorte após o desaire de Paços, mas nem isso retira mérito a uma equipa que soube ser séria, competente e ficar a dever a si própria uma goleada. É verdade: o campeão voltou. (...)»

Fernando Seara - Adepto benfiquista em A Bola; «(...) 2. Luís Figo anunciou a sua candidatura à presidência da FIFA. A eleição decorrerá a 29 de maio em Zurique. O colégio eleitoral integra as 209 federações nacionais filiadas na FIFA e que abarcam as seis confederações do mundo do futebol. As maiores são a africana - 54 membros - e a europeia (UEFA) com 53 membros. Neste momento são cinco os candidatos. Sepp Blatter 'procura' o seu quinto mandato. E terá como rivais três europeus - o português Luís Figo, o francês Jérôme Champagne e o holandês Michael van Praag - e o jordano príncipe Ali bin Hussein, que neste momento é um dos vice-presidentes da FIFA. É indiscutível que admiramos a força de vontade de Luís Figo. Até a sua ousadia pessoal. E acompanhamos o seu esforço e a sua busca de vitória. Para muitos 'vitória impossivel'. Mas ao tomar conhecimento deste seu empenho de verdadeira "cidadania do futebol' recordei um livro que relata a história de João Havelange - cujo autor é o brasileiro Ernesto Rodrigues - com o sugestivo título de 'Jogo Duro'. As derradeiras páginas são deliciosas já que retratam a sua sucessão na presidência desta verdadeira 'multinacional' que se chama FIFA e que, para alguns, é a expressão da 'capitalização do desporto' e da 'desportivização do capital', ou seja, do 'imperialismo' contemporâneo do desporto espetáculo. (...) »

José Manuel Meirim - Especialista em direito desportivo em A Bola; «(...) 2. A grande - enorme - diferença radica no efeito das normas que edita. Com efeito, tudo o que a FIFA delibera tem um efeito universal, determinando a regulação de uma modalidade desportiva - o futebol em todas as suas variantes - em 209 federações nacionais.
A FIFA é, por assim dizer, uma espécie de Nações Unidas do futebol mas, ao contrário da ONU, dotada de um muito mais eficaz ordenamento jurídico.
Ou, se quisermos usar outra imagem, porventura mais perto da realidade, a FIFA é o Estado do futebol, sendo os seus Estatutos, o texto constitucional, dotada de normas e órgãos próprios para as aplicar, de molde a prosseguir a sua missão em todo o mundo. (...)
»

Dia 2

Alberto do Rosário - Gestor, no Record; «Na próxima jornada, Alvalade vai estar no olho do furacão. Os dérbis entre leões e águias têm, desde sempre, emoções especiais e assim continuará a ser, pois é muito forte a rivalidade entre os dois clubes e nem a intromissão do dragão provocou alteração nestes estados de alma. As vitórias nestes confrontos lisboetas são tão especiais e deixam um sabor tão doce, que atenua nos adeptos "a desgraça" da perda de campeonatos. (...) »

Hermínio Loureiro - V.P. da FPF em A Bola; «Luís Figo é um excelente candidato à presidência da FIFA. Demonstra coragem e merece o nosso incondicional apoio nesta difícil caminhada. O anúncio da sua candidatura foi surpreendente mas conseguiu brutal impacto em todo o mundo.
Para além do prestígio, notoriedade e credibilidade demonstrada, Luís Figo tem todas as condições para devolver o respeito a uma Instituição que nos últimos anos tem estado envolvida em sucessivos escândalos. Luís Figo é um ganhador, está talhado para vencer grandes e difíceis desafios.
A FPF é logicamente grande entusiasta desta enorme aventura subscrevendo sem qualquer hesitação a candidatura para a qual tem o perfil adequado. Estamos a falar de alguém que dedicou toda a sua vida ao futebol e pretende agora num gesto de coragem devolver uma parte do que o futebol lhe deu. Reconheço que este é um desafio difícil mas no futebol não há vencedores antecipados e Luís Figo já provocou a discussão de temas relevantes para a modalidade.
Importa salientar o entusiasmo imediatamente gerado em torno deste projeto que se deseja altamente mobilizador e reformista. É preciso vencer a rotina, a inércia e o velho futebol. (...)
»

Nuno Farinha - Director-Adjunto do Record; «(...) O que estará em causa no próximo domingo é tão simples quanto isto. Hipótese 1: o Sporting ganha e entra na corrida pelo título. Hipótese 2: empatam e dão uma alegria ao FC Porto. Hipótese 3: o Benfica vence e o Sporting deixa de poder sonhar com o 1.º lugar. É aqui que entra a velha questão: quem chega ao dérbi em melhores condições? Teremos uma longa semana pela frente para esmiuçar o jogo e projetá-lo a partir de todos os ângulos, mas ficam desde já duas ideias. O Benfica é mais forte do ponto de vista da qualidade individual, mas o Sporting mostra nesta fase uma versão mais solidária. Por outro lado, a lesão de Júlio César (que foi decisivo na vitória no Dragão) é uma machadada forte no moral das águias, enquanto nos leões há uma sucessão de boas notícias: regressos de Nani, Jefferson e... Slimani, já "despachado" da CAN. Ora, se a isso ainda juntarmos a confiança em alta que resulta de 6 vitórias consecutivas no campeonato, não será disparatado dizer que, no plano teórico, o Sporting e Marco Silva partem para esta semana com ligeira vantagem.
A favor do Benfica está, no entanto, o maior de todos os trunfos: o conforto mental de quem sabe antecipadamente que deixará sempre Alvalade na condição de principal candidato ao título.
»

Dia 3

Bernardo Ribeiro - Director-Adjunto do Record; «(...) Lopetegui está rendido à comunicação portista. É normal que o treinador faça parte da equipa e passe mensagens. Que debata até os temas da agenda com alguém da comunicação. Mas depois de vir falar de Pedroto e Pinto da Costa, responder a Jesus e Manuel José são recados a mais. É pena. Parecia um homem diferente. Os resultados são tramados.»

Manuel Martins de Sá - Jornalista de A Bola; «(...) 2. O declínio do Inter e do Milan, as duas equipas milanesas que em conjunto acumulam 10 triunfos na Liga dos Campeões, é tão manifesto que basta olhar para a classificação. À 20.ª jornada ocupam o 9.º e o 10.º lugares, ambas com os mesmos 26 pontos, cuja soma fica só a 3 dos 49 da líder Juventus. A crise é tão comentada que até já mereceu editoriais do 'Daily Mail' e do 'Guardian'.»

Miguel Sousa Tavares - Adepto portista em A Bola; «(...) 3. Pé-ante-pé, em passinhos de lã, o Sporting chega ao jogo com o Benfica encostado ao FC Porto e com a possibilidade de ficar a 4 pontos do líder. E com todo o mérito - antes de mais do seu treinador, Marco Silva, que o seu visionário presidente tanto quis despedir. Mas, pé-ante-pé, com passinhos de lã e perante a condescendência geral, viu o árbitro perdoar-lhe um 'penalty' no jogo contra a Académica, quando havia 0-0, e viu o mesmo repetir-se no jogo contra o Arouca, quando havia 1-2. Decisões certas da arbitragem nestes últimos dois jogos, podiam ter-lhe custado 4 pontos e tudo seria diferente agora. Não que não tenham merecido ganhar os dois jogos (não vi nenhum deles, mas faço fé na crítica), mas, como dizia há tempos o Eduardo Barroso, não cabe aos árbitros velar pela justiça dos resultados. Mas ali, em Alvalade, guarda-se uma memória tão viva e veemente dos jogos em que se dizem prejudicados, como se guarda um esquecimento tumular dos outros. (...)»

Dia 4

Jorge Barbosa - Editor-Chefe do Record; «(...) Do que se tem visto até ao momento, o Sporting tem revelado bons princípios de jogo, a sua equipa tem um líder e tem um rumo, sabe o que quer e entende bem o jogo; é por tudo isto que o Sporting se tem apresentado seguro e ultimamente ganhador, depois de um início de época difícil para Marco Silva, enquanto não entendeu quem estava com ele e venceu quem estava contra ele. O Sporting pode e deve reforçar, domingo, a sua candidatura ao título, apesar de essa obrigação pertencer, quase por inteiro, a Benfica e FC Porto. Basta para tal que a sua identidade não seja atraiçoada.
Numa nota final, é de salientar que o fair play dos poderes que envolvem este jogo tem sido notório. Espera-se que na hora e meia de jogo não haja incidentes dentro e fora das quatro linhas que exaltem os adeptos "a posteriori". Isto é, que conte apenas o jogo como se jogou. Jogo limpo, limpinho.
»

Nélson Feiteirona - Jornalista de A Bola; «(...) Mesmo percebendo muito pouco de engenharias financeiras, não me custa acreditar que se não for através dos fundos os clubes encontrarão outras formas, eventualmente também pouco transparentes, de se financiarem. De financiarem a emoção dos adeptos. Claro que estes querem que se aposte na formação, mas acredito que sonhem também quando às suas equipas chegam jogadores famosos e bons, que tornam mais fácil ganhar jogos, campeonatos. Aliás, são estes jogadores que os levam a comprar bilhete.»

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «(...) Percebe-se a necessidade de forte contenção, mesmo regressão, de despesas em Alvalade e na Luz. Ainda assim, no Sporting, é estranho que, tendo Marco Silva pedido defesa-central mais experiente, parta o titular Maurício (com encaixe de euros adiado para a próxima época...), substituído por ascensão de Tobias Figueiredo que, está na cara!, tem muito alto potencial, mas é menino com 20 anos.
Sporting aposta na qualidade da prata da casa (neste momento, 8/9 titulares são produto da formação em Alcochete!). FC Porto investe mais 4 milhões no extremo Hernâni que, decerto, irá valer muitíssimo mais. Investimento portista nesta época ultrapassa €50 milhões. Sensivelmente o mesmo que Benfica e Sporting... juntos. Benfica é, de longe, o rei de vendas: para cima de €140 milhões!
»

Dia 5

Carlos Barbosa da Cruz - Advogado no Record; «(...) Esses homens ousaram sonhar e ousaram desafiar os interesses instalados, para quem o futebol era uma espécie do rotativismo da monarquia parlamentar, dominado pelo Benfica e pelo Porto. Nessa altura, o Sporting rompeu com a fatalidade do Natal, acreditou na sua sorte, fez pela vida e, contra tudo e contra todos, ganhou o campeonato.
Este princípio de 2015 faz-me recordar singularmente o do ano de 2000, em que o putativo campeão da época já praticamente fazia contas às faixas e festejava mais um campeonato.
Nessa épica segunda volta, em março de 2000, o Sporting defrontou o Porto, que o precedia na tabela, em Alvalade; para o ultrapassar tinha que ganhar, e muitos ainda se lembrarão do fantástico jogo que o Sporting arrancou, vencendo por 2-0, e, especialmente aquele golo monumental do matador Acosta ao Vítor Baía, com a ajuda bem-vinda do Secretário.
De novo o Sporting está confrontado com uma prova de vida, no que respeita a uma eventual candidatura ao título, e de novo o Sporting tem de sonhar e querer, como o fez em 2000. Tem de desafiar a lógica do dinheiro, demonstrar que não há campeões em dezembro e que os campeonatos se podem ganhar com produtos low cost, como o Mané e o Tobias. Ganhar ao Benfica no próximo domingo não significa ganhar mais do que três pontos, mas abala novamente a confiança de quem já viu os perseguidores mais longe e até já falava de alto no bicampeonato. (...)
»

Leonor Pinhão - Jornalista em A Bola; «(...) Vergonhoso, vergonhoso mesmo foi aquele engano de um tresloucado funcionário de uma agência de viagens que obrigou a tesouraria do FC Porto a pagar inadvertidamente viagens ao Brasil ao árbitro Calheirose à família Calheiros, belissimamente instalada quer no Othon Palace do Rio de Janeiro quer no Hotel Sheraton do Recife, saldando-se a fatura transviada n.º 4144 de 18 de julho de 1995 por um rol de embaraços justa e prontamente arquivados.
Comemora-se no próximo mês de julho o 20.º aniversário sobre esta data negra para os operadores turísticos nacionais. O tempo voa. Parece que foi ontem.
E mesmo Lopetegui, sendo estrangeiro e sendo o terceiro guarda- redes do Barcelona em 1995 deve lembrar-se com certeza da viagem ao Brasil dos Calheiros, até porque, não jogando, tinha muito tempo livre para acompanhar o noticiário turístico internacional. (...)
»

Vítor Serpa - Director de A Bola; «O Sporting já não é o único clube português presente em quatro competições. Desde ontem, deixou de estar na Taça da Liga.
É possível que o caso não afete a maioria dos sportinguistas. Trata-se, afinal, da quarta prova na hierarquia da importância e acresce que a Direção do clube sempre a desvalorizou, tratando de garantir, desde o primeiro jogo, que apenas seriam utilizados jogadores da equipa B ou jogadores de escalões da formação.
Em condições normais, o Sporting poderia estar nas meias-finais da prova onde já chegaram os seus mais diretos rivais, Benfica e FC Porto. Fica de fora, não tanto por força da razão desportiva, mas por força da razão política da sua Direção. Ora, é isso, precisamente, que me parece criticável. Julgo que, salvo melhor opinião, a Direção do Sporting confundiu a Taça da Liga com a Taça da Direção da Liga. (...)
»

Dia 6

Jornal A Bola - ; «'Ligas portuguesas e espanhola reuniram-se e assumem luta contra proibição aos fundos'
Os responsáveis pela liga portuguesa e pela liga espanhola reuniram-se e, confirmou 'A Bola', decidiram avançar com uma queixa na Comissão Europeia contra a FIFA por esta ter decidido proibir a partilha dos passes de futebolistas por terceiros; uma norma que entrará em vigor já no próximo dia 1 de maio e se destina a limitar a participação de fundos de investimento privado no futebol. A agência 'Bloomberg' avançou quarta-feira com a notícia, citando Ricardo Cardoso, porta-voz da Comissão Europeia, a confirmar a receção da queixa, sem, contudo, revelar os autores. De acordo com a mesma fonte, responsáveis das ligas portuguesa e espanhola viajaram até Bruxelas e entregaram formalmente a queixa, faltando ainda o envio de documentação para que o processo fique concluído. Aumenta, portanto, a contestação a esta medida da FIFA contra os fundos que investem no futebol.
»

José Ribeiro - Editor-Chefe do Record; «O Sporting vai jogar a grande cartada da época, em termos de 1.ª Liga, no domingo frente ao Benfica e Marco Silva, se pudesse escolher, dificilmente optaria por outro momento para o confronto que não este. Essencialmente por duas razões: os leões estão a viver o melhor período da temporada, com 6 vitórias consecutivas no campeonato (feito inédito para os leões em 2014/15); o Benfica apresenta-se mais fragilizado, por força das ausências do guarda-redes Júlio César (garantido) e do avançado Gaitán (as hipóteses de recuperar são muito reduzidas). Para o Sporting. ganhar é tudo, apesar de nem esse resultado fazer a equipa depender apenas dos seus futuros triunfos até final para chegar a uma posição de liderança. Menos que isso significará ver no título uma miragem. Para o Benfica, a derrota ainda não vai sentenciar nada, dado que a continuidade no topo da tabela está garantida após o jogo de Alvalade. (...) »

Luís Fialho - Colunista de 'O Benfica'; «(...) Tratando-se de um jogo decisivo para os nossos adversários directos, trata-se, consequentemente, de um jogo decisivo também para nós. E é dessa forma que o teremos de o abordar.
Sabemos que do outro lado está uma equipa jovem, e que a pressão de enfrentar o tão odiado quanto temível Benfica costuma pesar-lhe nos ombros. Devemos saber jogar com isso, e com a força que o escudo de campeão transmite aos nossos atletas. A confiança e a maturidade poderão ser a chave para um resultado positivo. Um empate não seria dramático - não abria espaço a qualquer dos perigos acima referidos -, mas as vitórias são a nossa forma de estar na vida, e é para a conquista dos três pontos que teremos de apontar as baterias.
»

Mário Santos - Ex-Presidente da F.P. de Canoagem em A Bola; «(...) Em Portugal, a retórica argumentativa politicamente correta é perigosa, perniciosa e, convenhamos, começa a enjoar. Os grandes prejudicados são os atletas que ficam, assim, cerceados dos direitos emergentes de uma relação de trabalho. Em muitos casos, e ao abrigo destas prestações de serviços, cedem os seus direitos de imagem. Aliás, esta obrigatoriedade de emitir um recibo de prestação de serviços vigorava para os atletas integrados no Projeto de Preparação Olímpica até à entrada em vigor de normativo que isenta esses rendimentos em sede de IRS.
Ao omitir esta realidade e não tendo coragem de assumir esta atividade profissional de forma desinibida, acabamos por tornar uma atividade digna, merecedora de respeito, admiração e garantias numa pura e simples prestação de serviços.
»

SIGA-NOS NO TWITTER AMIGO ON FACEBOOK REENCAMINHE PARA UM AMIGO
Copyright © *|CURRENT_YEAR|* *|LIST:COMPANY|*, All rights reserved.
*|IFNOT:ARCHIVE_PAGE|* *|LIST:DESCRIPTION|*
Remover | Preferências 
*|IF:REWARDS|* *|HTML:REWARDS|* *|END:IF|*