Não consegue ver correctamente? Abra no Browser.

Newsletter N.º 209

O Derby sempre tão aguardado teve um resultado positivo para o Sporting pois conseguiu conquistar um ponto na Luz, situação que já não acontecia há várias épocas. No dragão o FC Porto fez a sua obrigação ainda que tenha prolongado o 'suspense' entre os adeptos. Vamos ver com o fecho do mercado e com o interregno do campeonato para os compromissos das selecções como regressarão as equipas.

Finalmente, tivémos o encerramento do mercado e contrariando algumas expectativas os principais alvos acabaram por continuar. Alguns, se calhar, apenas por mais 4 meses... Com a contratação de Cristante o Benfica passou a ter mais soluções para a linha média. Fica para ver no ataque como vai ser, pois o alvo pretendido acabou por falhar.

Não sem surpresa continuam as golpadas na arbitragem. Agora até é nas provas de acesso dos árbitros ao novo escalão. Curiosa coincidência: a Associação beneficiada foi a do Porto. Porque será?...


Dia 30 de Agosto

Paulo Teixeira Pinto - Adepto portista em A Bola; «(...) Quanto ao demais, pois creio que nenhuma das equipas lusas se pode queixar do azar, antes devendo fazer vénia à sorte, em especial o Sporting, mesmo tendo pela frente o Chelsea. Já o Benfica está num grupo mais equilibrado, mas em que pode vencer qualquer um dos adversários. Mora aqui um ponto de interesse suplementar: o facto de enfrentar dois técnicos portugueses... Quanto ao FC Porto também não tem pela frente nenhum oponente que, a priori, se possa classificar como inacessível. E o seu técnico, basco, vai enfrentar uma equipa exclusivamente basca...»

Rui Santos - Jornalista no Record; «(...) Fernando Gomes, agarrado ao erro da renovação contratual, quis esvaziar Paulo Bento, porque só lhe criando mais competências será possível conduzi-lo a um processo mais participativo. Bento será sempre uma figura frágil, porque não tem nem o currículo de Mourinho nem o de Villas-Boas (mais novo ainda) e, inevitavelmente, chegará à conclusão de que foi um erro começar a construção da (sua) casa (leia-se carreira) pelo telhado. O afastamento de Leonel Pontes (chutado para o Marítimo) e a promoção de Sérgio Costa são um sinal da influência de Ricardo Peres sobre o seleccionador e as suas decisões. Toda a gente já percebeu isso dentro da Federação...(...) »

Vitor Serpa - Director de A Bola; «(...) É curioso verificar como a evolução foi rápida. Rapidamente aprendemos que a questão não era a de saber se a escolha deveria recair no treinador científico se no treinador empírico. Era tudo muito mais fácil. A escolha deveria recair no treinador competente, fosse ele o que fosse, tivesse ele estudado nos bancos das faculdades ou tivesse aprendido nas escolas práticas dos clubes. Porém, para lá dos saberes, havia uma questão mal definida de intuição e sensibilidade. E nisso, não há como o treinador português.»

Dia 31

José Manuel Meirim - Especialista em Direito Desportivo em A Bola; «(... 4. As eleições têm que ter lugar no prazo máximo de trinta dias após o conhecimento da última decisão do Conselho de Justiça - passada segunda-feira. Para tal prazo apontam, decisivamente, a necessidade de cumprimento das decisões do CJ, a norma estatutária sobre o prazo eleitoral e a urgência em colocar um ponto final num processo que prejudica a própria LPFP, valores a que um presidente de assembleia geral não pode ser insensível.»

Luís Pedro Sousa - Chefe de Redacção do Record; «(...) Passe o exagero, este dérbi, à terceira jornada do campeonato e com o mercado de transferências ainda por encerrar, proporcionará tantas ilações como o encontro que opôs os dois conjuntos há pouco mais de um mês, a contar para a final da Taça de Honra da AF Lisboa. A única diferença, embora importante, reside obviamente nos pontos em disputa e na injeção de moral com que o vencedor será premiado e nos primeiros sinais de depressão que vão apoderar-se do vencido em vésperas da primeira paragem da Liga. (...) »

Victor Bandarra - Jornalista, no Record; «Em teoria, Lopetegui tem razão quando diz: "Prefiro ganhar por 5-4!" Como quem diz, não se importa de sofrer 4 golos se a sua equipa marcar 5. Mas na prática, é Mourinho quem tem razão: bom é o Chelsea ganhar realmente por 6-3 ao Everton, equipa a milhas do Moreirense. "Ora essa! Não se façam comparações", irrita-se o meu amigo Chico da Farmácia, portista convertido ao estilo do basco. "Futebol inglês é mesmo assim!" Futebol inglês? Oual inglês qual quê! quando mais de metade dos artistas vêm das quatro partidas do Mundo? Por cá, só por milagre o FC Porto tem gás para marcar 5 ao Moreirense, por muita capacidade que tenha para não sofrer 4. (...)»

Dia 1 de Setembro

Alberto do Rosário - Gestor, no Record; «(...) Contudo, e apesar da não-sessão solene em Belém, o treinador, a maior vítima do médico não podia deixar de ser promovido. E foi. E lá vamos ter mais uns anos um técnico sem carisma, com um discurso de arranques e afastador de adeptos. O sofrimento salva as almas, almas salvas só podem trazer dias felizes.
E pronto, a Seleção está de volta e já temos provas provadas de competência: Rúben Neves, a grande revelação da época e indiscutível no onze do FC Porto, marcha para os sub-21. E tudo com muita tranquilidade.
»

Hermínio Loureiro - V.P. da FPF em A Bola; «(...) Importa salientar a presença de tantos portugueses no Mónaco, dirigentes, jogadores e treinadores, bem demonstrativo que o futebol português está na moda. São seis treinadores portugueses que vão estar na fase de grupos da Liga dos Campeões. Jorge Jesus, André Villas Boas, Leonardo Jardim, Marco Silva, Paulo Sousa e o inevitável José Mourinho vão encantar os adeptos. Demonstra competência e excelência, aumentando a responsabilidade de um país que adora e respira futebol. (...)»

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «(...) Importantíssimo vai ser o dia de hoje... Logo à noite saberemos se o Benfica perde Enzo Pérez (e Gaitán?), se o Sporting se despede de William Carvalho (e Slimani?) e se na Luz e em Alvalade ainda entram reforços que, de facto, sejam mais-valias... (o que parece bem menos crível). Ontem, gritante foi - para além da tremenda fífia de Artur - que a classe extra que resta no Benfica está em Sílvio, Gaitán, Enzo e Luisão (ai os suplentes...) e que, no Sporting, a par da exibição de Rui Patrício, são William e Slimani quem justifica cobiça nestas decisivas últimas horas.»

Dia 2

Fernando Guerra - Sub-Director de A Bola; «Vou repetir-me, mas não consigo enxergar razões suficientemente fortes que me convençam acerca desta interminável ligação entre Benfica e Jesus. Por não ver no seu desempenho ao longo de seis temporadas mérito para tal. Ganhar apenas dois Campeonatos (mais uma Taça de Portugal) leva-me a dizer que fez o gue tinha de ser feito, em função do vultoso investimento no sentido de lhe proporcionar as melhores condições e da qualidade dos plantéis que lhe têm sido oferecidos. Sem necessidade de truques de mágico nem de descobertas técnico-táticas que qualquer treinador informado e competente domina. (...) »

Nuno Santos - Jornalista no Record; «Vamos ser claros: um "mercado" de transferências que entra pelos campeonatos dentro é um sinal do tempo desregulado em que vivemos. Não vale a pena queixarmo-nos. As coisas são o que são e estes dias loucos, por norma aliás este último dia louco, é excelente para os especuladores - entre os quais reputados agentes FIFA - para os clubes em desespero e para os que olhando para as contas precisam de diminuir a folha de salários. Se tudo fosse feito a tempo e horas circulava menos dinheiro, menos produto (jogadores, claro...) e até jornais e televisões teriam uma vida mais monótona depois de ontem terem passado, como lhes competia, a acompanhar "ao minuto" o fecho do mercado como se estivéssemos na Bolsa. E estamos. (...)»

Paulo Quental - Editor do Record; «(...) Quatro penáltis defendidos nos primeiros dois jogos oficiais do Benfica não irão salvar Artur ao desterro no banco de suplentes. O guardião brasileiro deitou tudo a perder ao oferecer o golo do empate no dérbi com o Sporting, que ditou os primeiros dois pontos perdidos pelo campeão esta época. Naquele lance, Artur sentenciou o seu futuro na equipa, porque mesmo que Jesus lhe perdoe, os adeptos nem por isso. Em paralelo no FC Porto, o capitão Quaresma foi rebaixado de posto e nem sequer ficou no segundo lugar da hierarquia do grupo, agora ocupado pelo brasileiro Maicon. O treinador Lopetegui continua a conduzir os dragões com mão dura e enquanto a equipa ganhar mais ninguém o vai contestar. Ao contrário de Artur, o Quaresma ainda vale os aplausos dos adeptos portistas. (...) »

Dia 3

Guida Ferrer - Jornalista de A Bola; «De regresso a Portugal após ter sido segundo classificado no Rali dos Sertões, quinta e penúltima etapa do Campeonato do Mundo de todo o terreno disputada no Brasil, Paulo Gonçalves, campeão mundial em título que continua na luta para se manter no topo da modalidade, não escondeu alguma desilusão pela falta de apoios, apesar de sentir que a sua modalidade tem ganho notoriedade em Portugal.
«O País continua francamente virado para o futebol. O planeta terra é uma bola, mas Portugal não! Portugal está no topo do todo o terreno mundial mas nem assim os apoios crescem para esta e outras modalidades que colocam o País na boca do mundo por boas razões», atirou o piloto de Esposende, lembrando que não foi o único que esteve a lutar pela vitória em terras de Vera Cruz. «Fomos três portugueses em prova, eu, o Hélder [Rodrigues] e o Ruben [Faria], e todos estivemos em luta pelos lugares cimeiros», relatando ainda a forma como foram acarinhados pelo público no Brasil. «Foi incrível o apoio e o carinho que recebemos no Brasil. (...)
»

José António Saraiva - Director do 'Sol' no Record; «(...) Quanto ao dérbi da Luz, provou que as notícias da morte prematura do Benfica eram claramente exageradas. A equipa já mostrou o dedo de Jesus, revelando-se a espaços capaz de praticar um futebol solto, alegre e agressivo. Faltou um goleador na área para o Benfica ganhar o jogo. O Sporting é uma equipa sólida, mas ainda incapaz de conseguir o brilho que o Benfica atinge nos seus momentos de fulgor.
Perante a ineficácia dos avançados, foram os guarda-redes que decidiram o jogo: Patrício deu meio frango, Artur deu um frango duplo. Ambos acharam que um dérbi não devia acabar sem golos. -
»

José Manuel Freitas - Jornalista de A Bola; «Não me conformo com o discurso de Fernando Gomes. Então foram todos incompetentes e as únicas cabeças que rolaram, estranhamente, foram as de Henrique Jones e Nuno Campos, uma vez que Leonel Pontes foi à vida dele? Aliás, uma vez que todos os portugueses têm um bocadinho de seu na Seleção, quem é que pode avaliar o estado de incompetência a que se referiu o líder da FPF? O Governo? O secretário de estado do Desporto? A troika? O FMI? O Parlamento Europeu? Sinceramente se alguém me pudesse dizer gostava muito.»

Dia 4

Leonor Pinhão - Jornalista e adepta benfiquista em A Bola; «Nico Gaitán vem desenvolvendo o hábito de marcar golos ao Sporting mas, de facto, neste aliciante pormenor, Nico Gaitán ainda não é nenhum Óscar Cardozo. Embora para lá caminhe, isto se permanecer mais alguns anos no Benfica, obviamente. No domingo à noite muitos devem ter sido os benfiquistas assobiadores do Cardozo que tiveram saudades do paraguaio que tinha o condão de perturbar Rui Patrício, só de o ver por perto. Sem Cardozo em campo, o guarda-redes do Sporting assinou uma atuação consistente e, por diversas vezes, salvou a sua equipa de situações de muito apuro. (...)»

Nuno Farinha - Director-Adjunto do Record; «A candidatura do Sporting ao título passou a fazer mais sentido com duas notícias recentes que foram recebidas em Alvalade de braços abertos: a chegada de Nani e a continuidade de William Carvalho. O rei dos desequilíbrios e o pilar que sustenta todo o projeto. Sem eles não haveria sequer espaço para sonhar. Assim, há. E mais passou a haver depois do empate na Luz. Em comparação direta com os rivais, Nani e William talvez sejam, aliás, os únicos jogadores de campo do Sporting com capacidade para entrar sem discussão nos onzes de Benfica e FC Porto. Com tudo o que isso quer dizer. (...)»

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «Benfica conseguiu evitar que os tremendos danos já sofridos se agravassem para pura catástrofe. Sim, sê-lo-ia, se Enzo Pérez, ou Gaitán, ou Salvio, ou Luisão (pelo capitão, houve mesmo pedido de namoro da Juventus?), um deles que fosse, partisse na senda de Oblak, Garay, Siqueira, André Gomes, Rodrigo, Markovic, Cardozo... - acrescentando-se se KO clínico de Fejsa e Rúben Amorim anunciado para 6 ou 8 meses...
Quando escrevi, há uma semana, que Benfica apenas com 3 médios teria fiasco garantidíssimo não foi descoberta da pólvora... Quase à última hora, chegou o grego Samaris e, mesmo no último dia, à continuidade de Enzo Pérez juntou-se contratação do italiano Cristante. (...)
»

Dia 5

Bernardo Ribeiro - Director-Adjunto do Record; «(...) O Benfica perdeu gente e de qualidade, mas tem mais do que suficiente para uma boa época. Talvez não seja ano de final europeia, mas bater-se com o FC Porto está plenamente ao alcance e as soluções continuam muitas quando comparadas com as do rival da Segunda Circular. A existir um problema ele estará, sim, no planeamento e timing das contratações. Gastar 15 milhões em dois jogadores para o mesmo lugar - caso de Samaris e Cristante, acreditando nas palavras de Jesus - já é estranho, quando estava à vista que havia urgência num guarda-redes e avançado. Ainda assim, as soluções estão aí para jogar. O Benfica é candidato, claro. Resta que faça por isso.»

Carlos Rias - Jornalista de A Bola; «No estágio de árbitros do curso de Formação Elite (nível 3), que decorreu em Rio Maior, de 27 de junho a 5 de julho, o árbitro de Beja, Dinis Gorjão, candidato à primeira categoria, esteve envolvido num caso polémico que acabou com um recurso da sua Associação para o Conselho de Justiça da FPF.
A história conta-se de forma simples. Num dos testes realizados sobre sociologia e metodologia de treino, quando o final estava para ser anunciado, e dos 15 árbitros apenas quatro estavam na sala, Dinis Gorjão recebeu uma chamada no telemóvel, que estava sobre a mesa. Um dos colegas do árbitro, que tinha um trabalho em grupo com ele, julgando que Gorjão já saíra, ligou-lhe. O som do telemóvel terá sido incomodativo, mas Gorjão desligou-o de imediato. O controlador da sala chamou o árbitro à atenção, ter-lhe-á dito que não podia mexer no telemóvel. O árbitro respondeu com a entrega imediata do teste.
No final, Gorjão foi avaliado em 92 pontos. A sessão de encerramento foi antecedida de uma reunião para homologar a classificação final. Para espanto de Dinis Gorjão, o seu teste foi anulado. Anulado seria, também, o teste de outro árbitro, da AF Porto, que, dizem-nos, terá copiado, e que passou do 1.º lugar para o 11.º, lugar elegível, já que dentro dos 12 primeiros. Gorjão caiu de 6.º para 13.º e ficou afastado da promoção. (...)
»

Luís Fialho - Colunista de 'O Benfica'; «(...) 2. Finalmente encerrou o "mercado". Dos últimos dias, uma nota de tranquilidade, e um motivo de preocupação. A nota de tranquilidade prende-se com as permanências de Enzo Perez e Nico Gaitán, tão somente os dois melhores jogadores do último Campeonato. O presidente prometeu que só sairiam pela cláusula de rescisão, e cumpriu a palavra dada. Como ninguém bateu as cláusulas, eles aí estão, incorporando a espinha dorsal do Campeão Nacional, e desmentindo as teses mais catastrofistas. Juntamente com Sálvio, formarão o núcleo duro do nosso futebol criativo. Continuaremos a ouvir Tango na Luz. (...) O motivo de preocupação reside no centro do ataque, onde me parece que as saídas de Cardozo e Rodrigo não ficaram devidamente colmatadas, e para onde se esperava um reforço de peso. »

SIGA-NOS NO TWITTER AMIGO ON FACEBOOK REENCAMINHE PARA UM AMIGO
Copyright © *|CURRENT_YEAR|* *|LIST:COMPANY|*, All rights reserved.
*|IFNOT:ARCHIVE_PAGE|* *|LIST:DESCRIPTION|*
Remover | Preferências 
*|IF:REWARDS|* *|HTML:REWARDS|* *|END:IF|*