Não consegue ver correctamente? Abra no Browser.

Newsletter N.º 192

A meia-final da Taça da Liga no Dragão veio confirmar a tendência clara que se vem registando esta época: a superioridade inquestionável do Benfica. Desta vez com alguma sorte mas muito mérito, mais uma final foi atingida. É obra!

A Juventus - um exemplo perfeito da corrupção à italiana -, não se coibiu de ir fazer queixinhas à UEFA sobre Enzo Pérez e esta, sem surpresa, antecipou a reunião de 15 de Maio para a próxima 4.ª Feira, dando apenas 24h para o Benfica elaborar a defesa do jogador. Houve uma preocupação evidente dos italianos que têm recorrido a todos os truques na secretaria para ganhar vantagem. Felizmente a UEFA não atendeu e decidiu-se pelo arquivamento.

No jogo propriamente dito o Benfica escreveu História! Mau grado algumas tentativas fora do campo, os jogadores encarnados foram valentes e aguentaram firmes 98 m sem que a sua baliza fosse violada, a despeito da expulsão de Enzo, da lesão de Garay e da natural pressão italiana. Épico!


Dia 26 de Abril

Bernardo Ribeiro - Sub-Chefe de Redacção do Record; «Nas conversas de café a época do Sporting é, para os adeptos rivais, apenas mais uma como tantas outras: o leão não ganhou nada. É verdade. Descontextualizada e vista daqui a 50 anos será assim. Mas, mesmo nos cafés, haverá alguns mais honestos intelectualmente, que olharão com olhos de ver para o trabalho realizado por Bruno de Carvalho e Leonardo Jardim e reconhecerão que não esperavam tanto em 2013/14. (...)»

Paulo Teixeira Pinto - Adepto portista, em A Bola; «Na quinta-feira da passada quinta-feira senti-me um verdadeiro lampião. Quero com esta assombrosa confissão dizer que dei por mim a torcer pelo Benfica na meia final disputada com a Juventus como se fosse mesmo o meu clube de coração. (...)»

Vítor Serpa - Director de A Bola; «(...) O cravo vermelho era uma bandeira na lapela dos sonhos. Passaram quarenta anos e o simbolismo perdeu-se. Qualquer tiranoide de bairro pode andar, por aí, de cravo ao peito a fingir de democrata encartado. Se for esperto, até sabe cantar a 'Grândola de cor'...»

Dia 27

Fernando Seara - Adepto Benfiquista, em A Bola; «(...) Mas ali estavam, em júbilo, muitos e muitos milhares de testemunhas. E muitas delas e muitos deles nunca viram jogar nem Eusébio nem Mário Coluna. Mas sabem bem que foram dois dos maiores jogadores do Benfica e que partiram neste arranque de 2014. E para este Benfica, e ainda bem, «a memória é essencial»!»

José Manuel Meirim - Especialista em Direito Desportivo, em A Bola; «(...)3. A 'reforma' agora aprovada é para «valer» ou para «fazer crer». Afirma a norma sobre a adaptação dos estatutos, que as federações desportivas já existentes os devem adaptar ao disposto no decreto-lei, sem prejuízo dessas alterações só produzirem efeitos a partir do próximo mandato dos órgãos sociais da federação desportiva.
4. Isto é, a partir de 2016, ou início de 2017. Ou seja, vamos viver, até essa data, com estatutos que não respeitam o sentir político do Governo em Maio de 2014. Aí está uma norma a necessitar de urgente revogação ainda antes de ter nascido.
»

Victor Bandarra - Jornalista, no Record; «É espantoso! O Benfica acaba de vencer a poderosa Juventus e o Portugal do futebol acha pouco. A começar por muitos benfiquistas puros e duros, que ruminam maledicências contra o perigosíssimo golo italiano na Luz. O futebol é um jogo cheio de passado, mas onde as memórias, boas e más, se projetam sempre no presente e no futuro.(...)»

Dia 28

Alberto do Rosário - Gestor, no Record; «(...) Na alta roda andam jogadores e treinadores portugueses, mas esses tiveram de procurar outros mundos para poderem cumprir tais desígnios, porque cá na terrinha, embora o futebol se esforce por se libertar do miserabilismo nacional, as lideranças castradoras e canhestras não o deixam e só resta aos melhores saltar fronteiras. Como em todo o resto. Jorge Jesus num aspeto tem razão, quando se compara o nosso futebol com as restantes atividades do país, não há dúvidas que é de altíssima roda. Valha-nos isso.»

João Querido Manha - Director do Record; «Sem Maxi Pereira, Luisão, Garay, Fejsa, Enzo Pérez, Markovic, Gaitán nem Rodrigo, o Benfica apresentou ontem no Dragão uma formação de recurso, confirmando a subalternização da Taça da Liga. Toda a atenção dos benfiquistas está no encontro de 5.ª feira em Turim, como se refletiu na decisão de Jesus de substituir Lima (e não Cardozo), quando a equipa ficou reduzida a 10 - e nem isso o FC Porto foi capaz de aproveitar. (...) »

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «(...) Duríssimo para o FC Porto: a ironia de tudo ter apostado para ganhar a Taça da Liga que andara anos a ridicularizar (desde a final perdida para o Benfica, por 3-0, no estádio do Algarve). Nem assim, face à reserva que Jorge Jesus levou ao Dragão...
Jorge Jesus, o subitamente vilipendiado há um ano, tem enorme mérito: a estrutura tática e mental do futebol benfiquista é... notável.
»

Dia 29

António Varela - Sub-Director do Record; «A UEFA abria ontem a sua página na internet dedicada à Liga Europa com o título sugestivo: "Juventus a um golo da final em casa". Cada um vê a realidade com os óculos que tem, dizem os sociólogos da comunicação, e a organizadora das eurotaças escolheu o olhar italiano, de quem quis organizar o jogo da decisão e tem uma bela oportunidade de o disputar - afinal está a um golo de distância. (...) »

Fernando Guerra - Sub-Director de A Bola; «Os bons resultados esfumaram-se e a confusão instalou-se na família do dragão. Julgo que ainda não se chegou à gritaria, mas o mal-estar é iniludível. Não só de agora, note-se. Os mais avisados pressentiram que transformação significativa estaria iminente em função da ostentação da cigarra, promovida pelo FC Porto, e do labor da formiga, desempenhado pelo Benfica, como na fábula. »

Miguel Sousa Tavares - Adepto portista em A Bola; «(...) 5. Vem aí um Mundial, o que quer dizer que vem aí uma daquelas ondas de patrioteirismo imbecil, devidamente cavalgada em lucros publicitários pelo seleccionador nacional - na esteira da janela de oportunidade exemplarmente explorada e estabelecida por Scolari. Num desses cartazes publicitários de rua, Paulo Bento ordena-me que «nunca duvide do onze inicial!». E, porquê, pergunto eu? Porque foi escolhido por um deus infalível, ou porque a liberdade de opinião acaba na ideia de Pátria decretada pelo seleccionador? »

Dia 30

Bagão Félix - Adepto benfiquista, em A Bola; «(...) Com as épocas futebolísticas perto do fim, por cá ainda alguns (cada vez menos, diga-se) insistem na teoria aritmético-conspirativa dos erros de arbitragem unilateralmente apreciados e, na ausência de confractual, ousam imaginar resultados, classificações e taças diferentes. (...) »

Jorge Barbosa - Editor do Record; «(...) Numa eliminatória equilibrada - embora o Benfica entre em campo com a vantagem de um golo -, o talento dos jogadores fará toda a diferença, constituindo mais um argumento para reforçar o que se espera: a qualificação do clube português para a final da Liga Europa. O que é bom, embora o ótimo tivesse sido um percurso mais condizente com o investimento e as promessas feitas pelo seus responsáveis no início da época, ou seja, a qualificação para a final da Liga dos Campeões. (...) »

José António Saraiva - Director do 'Sol' no Record; «(...) O problema do FC Porto não são os jogadores. O problema do Porto este época chamou-se "treinador". Com outro treinador, o plantel pareceria outro. Se Jesus fosse treinador do Porto, os jogadores jogariam o dobro - e ter-se-iam valorizado, em vez de se desvalorizarem, como aconteceu. Quanto ao jogo de amanhã, será um milagre o Benfica qualificar-se. Dificilmente a Juventus não marcará 2 golos, e se o Benfica marcar 1 é bom. Só que isso não chega - e, num eventual prolongamento, a Juventus ten todos os trunfos. Boa sorte! »

Dia 1 de Maio

Pedro Guerreiro - Jornalista, no Record; «A resposta de Daniel Alves foi preparada para se defender mas quem atirou a banana para o relvado atirou-a mesmo para ofender. A discussão sobre a "armadilha" da agência de publicidade é secundária, primária é a atitude racista. "Somos todos macacos" não apenas por solidariedade. Mas por genética. Primatas sim, primários não. (...) »

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «Independentemente do que acontecer hoje no decisivo confronto em Turim, o Benfica liderado por Luís Filipe Vieira e Jorge Jesus é o indiscutível grande vencedor da temporada futebolística nacional. Campeão com substancial avanço, finalista das duas Taças nacionais (com o superior mérito de, em ambas, diretamente se ter imposto ao grande rival FC Porto quando circunstâncias dos jogos se tornaram muitíssimo favoráveis aos portistas) e, pela 3.ª vez em 4 anos, semifinalista na Liga Europa, hoje se decidindo se irá disputar segunda final consecutiva. (...) »

Vítor Serpa - Director de A Bola; «O Benfica tentará garantir hoje, em Turim, a presença em mais uma final europeia e somar essa proeza a uma época indiscutivelmente brilhante. Não é, obviamente, uma missão fácil, mas também não será uma missão impossível. A Juventus é, presentemente, a mais forte equipa do futebol italiano, com o qual raramente nos damos bem. (...)»

Dia 2

Daniel Oliveira - Analista Político no Record; «(...) A atitude rápida e eficaz de Daniel Alves foi o pequeno gesto que faltava para destapar a tampa. Só falta que os adeptos em geral e as direções dos clubes em particular passem a ser tão implacáveis com o racismo como o Villareal foi obrigado a ser. Haverá sempre racistas nos estádios. Apenas se quer que guardem o racismo para si. Cabe-nos a nós, todos macacos, mandá-los calar.»

João Paulo Guerra - Colunista de 'O Benfica'; «(...) Esta vitória do Benfica é um grande sucesso do Clube, da equipa e muito especialmente do treinador. Jorge Jesus mostrou naquele relvado, em que foi tão infeliz no ano passado, a razão pelo qual o Benfica o quer e outros o cobiçam. Muito dificilmente qualquer outro treinador conseguiria gerir o plantel e conceber a tática para um jogo de tão elevada parada. Mas também talvez em nenhuma outra equipa portuguesa o treinador tivesse meios para voos tão ambiciosos. »

José Manuel Freitas - Jornalista de A Bola; «Véspera do 1.º de Maio, Lisboa com festa garantida por força da final da Champions, País a olhar para a presença do Benfica em Turim e o Governo a tramar-nos outra vez. Agora sem ponta de vergonha. Pelo aumento dos impostos, mas muito particularmente por nos ter roubado um subsídio. Grandes mentirosos!!! E ainda querem que se lhes dê o benefício da dúvida com mais quatro anos no poleiro. Só se o Povo for masoquista. E parte dele até o é.»

SIGA-NOS NO TWITTER AMIGO ON FACEBOOK REENCAMINHE PARA UM AMIGO
Copyright © *|CURRENT_YEAR|* *|LIST:COMPANY|*, All rights reserved.
*|IFNOT:ARCHIVE_PAGE|* *|LIST:DESCRIPTION|*
Remover | Preferências 
*|IF:REWARDS|* *|HTML:REWARDS|* *|END:IF|*