Não consegue ver correctamente? Abra no Browser.

Newsletter N.º 226

Taça da Liga. Paradoxalmente, o maior interesse nesta jornada residia na crise entre o Presidente e o Treinador do Sporting. A ida a Guimarães com a uma equipa onde pontificavam muitos elementos da equipa B, servia de teste para aferir como ficariam as coisas depois do jogo. Ganhou Marco e os jogadores em toda a linha, o que sendo de alguma forma previsível veio ainda alargar mais o fosso entre Bruno e os adeptos.

Os outros dois grandes ganharam os seus jogos pela margem mínima, um golo solitário que os colocou, tal como o Sporting, na 'pole position' de apuramento para as meias-finais da competição.

Segue-se a 15ª jornada com a deslocação do Benfica a Penafiel. Sendo claramente para ganhar, a ver vamos o que nos reserva o novo ano. Coisas boas é o que todos esperamos.


Dia 27 de Dezembro

Fernando Guerra - Sub-Director de A Bola; «(...) Subscreveu, porém, uma novidade: a culpa não se esgota no atrevimento jornalístico. Valha-nos isso!... No seu reparo envolveu também os sportinguistas que ousam falar de crise no clube. «Independentemente de tudo, tem tanto de absurdo como de injusto», sublinhou. Nesta altura, tentar promover um quadro de sã convivência em Alvalade só pode ser lido à luz da hipocrisia. Não há outra interpretação possível depois do que ambos disseram: é o anúncio da rutura. A dúvida que persiste é saber quem paga o quê e a quem. Como Bruno de Carvalho não deve ter dinheiro para despedir Marco Silva, alimenta a tática do desgaste psicológico. Isto é, para ele haverá um final feliz se for o treinador a despedir-se ou aceitar ser despedido com simbólica indemnização. »

Luís Pedro Sousa - Editor do Record; «(...) 2. Nélson Oliveira deixou outra vez a Luz. Aquele que é potencialmente o melhor ponta-de-lança português da atualidade teve direito a 25 minutos de utilização no Benfica em 2014/15. Viva a fartura... e a coerência! »

Miguel Cardoso Pereira - Jornalista de A Bola; «Desde a eleição para presidente do Sporting, Bruno de Carvalho já criticou - não me lembro se por esta ordem - o seguinte: Manuel Fernandes; antigos dirigentes; o antigo presidente; os presidentes de FC Porto e Benfica; comentadores e analistas sportinguistas; comentadores e analistas portistas; comentadores e analistas benfiquistas; a Federação Portuguesa de Futebol; o Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol; o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol; o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol; árbitros principais; árbitros auxiliares; árbitros estrangeiros; queixou-se quando foi prejudicado; queixou-se quando foi beneficiado para provar que não se queixa apenas quando é prejudicado; a Taça da Liga; a anterior direção da Liga; a atual direção da Liga; queixou-se à UEFA, à FIFA e à Comissão Europeia; criticou as convocatórias de Paulo Bento para a Seleção Nacional; desencontrou-se com Nani e Rui Patrício, as duas estrelas da equipa; atirou-se aos adeptos do Sporting por terem apupado a equipa e, noutra ocasião, por episódios de mau comportamento que resultaram em multas; questionou fundos de investimento; empresários; o modelo de funcionamento da Benfica TV por oposição ao que desejava implantar na Sporting TV; os jogadores do Sporting por maus resultados ou más exibições; a Equipa B; Leonardo Jardim; Marco Silva; já assumiu erros e, portanto, criticou-se a ele próprio; e, agora para fechar o ano, os média, decretou blackout do Sporting por entender que as críticas só existem porque estes têm uma campanha de ataque aos leões. Não sei se me esqueci de algo ou de alguém. Provavelmente sim. (...)»

Dia 28

Nuno Farinha - Director-Adjunto do Record; «O tempo de Marco Silva como treinador do Sporting está definido. Pode ser mais um par de dias, uma semana ou mesmo um mês. A única certeza, é que a relação entre presidente e treinador já está ferida de morte. O que Bruno de Carvalho fez na fatídica reunião de 2.ª feira foi desistir de um técnico que ele próprio tinha contratado, poucos meses antes por quatro temporadas e com uma cláusula de rescisão de 15 milhões de euros. Marco Silva, no fundo, foi convidado a fazer uma maratona e acabou por ser empurrado para fora da corrida logo na segunda curva. (...)»

Ricardo Costa - Professor de Direito da Universidade de Coimbra; «Entre as suspeitas mais comuns de desvirtuamento da verdade desportiva estão os aliciamentos de jogadores, nomeadamente nas últimas jornadas dos campeonatos. Fala-se muito da corrupção no relacionamento entre dirigentes e árbitros, cuja condenação teve a sua face mais visível nos processos desportivos, do Apito Dourado. Fala-se algo das influências dos clubes, assentes em primeira linha na política seletiva de empréstimos. E fala-se pouco no "envolvimento" dos atletas que aceitam recompensas com vista a contribuírem para a obtenção de um resultado (positivo ou negativo) nos jogos (de quando em vez, todavia, surpreendido em processos a clubes e dirigentes da 1.ª Liga). De todo o modo, a malha regulamentar (olhando para o regulamento do futebol profissional) está estabilizada (dentro da linha de fronteira entre aliciar para "perder" ou para "ganhar") e pronta para ser aplicada. E a disciplina criminal está igualmente consolidada na corrupção desportiva e no tráfico de influências destinados a "alterar ou falsear o resultado de uma competição desportiva". (...)»

Rogério Azevedo - Jornalista de A Bola; «(...) Jorge Mendes, empresário de CR7, é um exagerado. Cristiano Ronaldo é grande? Não: é enorme. É o melhor futebolista português de sempre? Provavelmente. É o melhor futebolista mundial de todos os tempos? Hum. Já é o melhor desportista mundial de sempre? Bom, Jorge. E Muhammad Ali? E Mark Spitz? E Michael Phelps? E Roger Federer? E Michael Jordan? E Carl Lewis? E Usain Bolt? E Jesse Owens? E Eddy Merckx? E Pelé? E Maradona? E Ayrton Senna? A terminar, uma pergunta: sendo consensual que José Mourinho é o melhor treinador português de sempre, quem será o segundo? Artur Jorge, José Maria Pedroto, António Oliveira, Manuel José, Fernando Santos, Toni, Paulo Bento, Carlos Queiroz, Jesualdo Ferreira, Jorge Jesus, André Villas Boas, Cândido de Oliveira? »

Dia 29

Alberto do Rosário - Gestor, no Record; «(...) Um presidente que exerce essa função, mais a de diretor-geral e mais a de treinador, nem no Cascalheira - com o devido respeito para este - faria sentido, e os adeptos do Sporting são os melhores do Mundo mas não são cegos. O descontentamento é nítido e galopante. Li num jornal que Inácio se juntou à festa, quer ser o treinador. Já agora o Virgílio pode ser o adjunto e então teríamos aquela cena dos tempos idos em que o cantor anunciava: música do meu mano, letra do meu pai e eu canto a fabulosa canção que vão ouvir. Tenham dó.
Há ainda pouco tempo foi varrida uma aristocracia de má lembrança e morrem os sinais de melhorias neste PREC - processo revolucionário em curso - tipo jogo da cabra cega, com tropeções e guinadas oratórias. Há nuvens negras sobre Alvalade. Cheira a esturro.
»

António Magalhães - Director do Record; «(...) Isto significa que um mau resultado será sempre interpretado como consequência natural da "decisão política" tomada. Um bom resultado (neste quadro de desequilíbrio até poderá ser um empate) será visto como uma "vitória" de Marco que assim não só será capaz de sobreviver à tempestade como sair incólume de uma "batalha desigual".
Não é, pois, crível que o resultado de Guimarães determine o futuro de Marco no Sporting. Outros fatores poderão precipitar a saída, assim como razões que se desconhecem (mas que se podem imaginar) possam prolongar a sua vida leonina. Uma coisa é certa: depois do que se passou nos últimos dias, dificilmente os sportinguistas deixarão de viver na angústia diária de saber se Marco saiu ou fica.
»

Hermínio Loureiro - V.P. da FPF, em A Bola; «Em Amarante juntou-se um conjunto de pessoas que gostam de futebol. Gostam de ver, jogar, treinar e comentar. Para além de gostarem de futebol também são solidários e decidiram aceitar o convite da Cáritas-Porto e da Câmara Municipal de Amarante para darem o seu contributo a uma causa solidária ajudando quem menos tem e mais precisa. O futebolista Renato Queirós, o jornalista da RTP Manuel Fernandes Silva e o dirigente da Apiccaps Paulo Gonçalves convidaram as pessoas que prontamente acederam ao desafio e estiveram em Amarante com as bancadas com mais assistentes que muitos jogos das nossas competições profissionais, apesar do frio que se fazia sentir. Uma tarde diferente onde o futebol mostrou que é solidário e tem responsabilidade social. (...)»

Dia 30

Manuel Martins de Sá - Jornalista de A Bola; «(...) 2. Também Fernando Gomes, em entrevista a 'O Jogo' fez o balanço dos seus três anos de governo à frente da FPF. Usou, como sempre, de uma linguagem calculista para não levantar ondas e, sobretudo, calou questões espinhosas. Declarou que 80 por cento do seu programa eleitoral está realizado e que os 20 que faltam ficarão cumpridos neste último ano de mandato. Li e fiquei pasmado. Será que este homem não enxerga o descalabro em que o futebol português se encontra? Que foi preciso que o Benfica e o FC Porto superassem velhos rancores para que esta época fosse possível haver campeonato nacional? Sem ele mexer uma palha, como se nada tivesse a ver com tudo isto? No fundo, o abismo em que a Liga se afundou é da inteira responsabilidade da Federação. As perguntas não teriam fim. Há uma, porém, que não quero deixar de fazer a mim próprio: será que há um pacto secreto entre ele e o irremovível Vítor Pereira? Ao não dar ouvidos às acusações de Pedro Proença, até parece...»

Nuno Farinha - Director-Adjunto do Record; «Marco Silva termina o ano na pele de novo herói dos adeptos do Sporting. Saudado pelos apoiantes leoninos, admirado pelos seus próprios jogadores, o técnico fecha 2014 em estado de graça e à espera que Bruno de Carvalho faça a próxima jogada neste complexo jogo de xadrez em que está transformada a relação entre quem manda no clube e quem manda no balneário.
Do ponto de vista desportivo, a deslocação a Guimarães era um dos jogos mais fáceis da temporada. Pressão inexistente, obrigatoriedade de apostar em jogadores da equipa B, motivação alta. Tudo a favor de Marco Silva. Um mau resultado seria sempre fácil de explicar, uma vitória poderia ser atribuída à estratégia do treinador. Dificilmente as coisas poderiam ter corrido melhor: equipa bem organizada defensivamente, dois golos em saídas rápidas para o ataque e um triunfo importante numa espécie de competição maldita - onde, à partida, o Sporting não estaria a pensar chegar muito longe. Para já, com os três pontos de ontem, as meias-finais ficaram ali ao virar da esquina. (...)
»

Nuno Santos - Jornalista no Record; «(...) Mais do que o adepto comum, os notáveis, as fontes próximas ou os muitos analistas que nos últimos dias se pronunciaram sobre o tema, é agora importante conhecer a posição dos líderes da equipa. Jogadores como Nani e Rui Patrício passam a ser decisivos no conflito. Não é expectável que eles tomem uma posição pública, mas não deixarão de se fazer ouvir no fórum certo. Podem existir muitos Carlos Manés dispostos a morrer pelo presidente, mas o que diz a lei do balneário é que os mais fortes ditam as regras. Se pensarmos no que Nani já disse esta época, também nesta frente Bruno de Carvalho não terá uma vida descansada. »

Dia 31

Jorge Barbosa - Editor-Chefe do Record; «(...) Assim, e apesar de a relação presidente/treinador estar ferida de morte, apesar de o perfil psicológico de Bruno de Carvalho ser imprevisível, apesar ainda de Marco Silva ser um homem determinado e fiel aos seus princípios, há razões para que todos juntos possam encarar o mesmo objetivo, ou seja, a conquista de um ou mais títulos. Caso contrário, o futebol do Sporting entrará num carrossel desgovernado. Bruno de Carvalho terá, pois, o bom senso de parar com esta tempestade em copo de água... »

José António Saraiva - Director do 'Sol' no Record; «(...) Mas se as vitórias morais eram uma ilusão, caiu-se no erro oposto. Porque nem sempre ganha o melhor. No Dragão, o Porto mostrou ser mais forte do que o Benfica, apesar de perder (e por isso Lopetegui saiu de lá a dizer que ainda tem mais certeza de ser campeão). E na Luz; o Benfica foi melhor do que o Braga, apesar de perder.
É isto que os comentadores têm de começar a fazer: analisar os jogos "apesar do resultado" e não "a partir do resultado". O futebol é imprevisível e os resultados muitas vezes enganam. Vemos isso todos os fins de semana. Se os comentadores passarem a ver os jogos de outro modo, dizendo coisas como "aquela equipa ganhou mas vejam que a outra é melhor", prestarão um bom serviço ao futebol - e as análises serão mais interessantes e menos óbvias. Até porque os resultados sabemos nós quais foram...
»

Santos Neves - Jornalista de A Bola; «(...) O Benfica, com teórico menor grau de dificuldade, porque na Luz, apresentou máxima força possível quando se debate com importantes baixas clínicas. No primeiro jogo pós-adeus a Enzo Perez, fracos sinais na busca da melhor opção para ultrapassar tão importante perda. Ontem, para novo n.º 8, nem Pizzi (Jesus vai tentando adaptar mais um jogador a função que desconhecia), nem Talisca (mantém claríssima quebra de forma) conseguiram corresponder à exigência. Será Samaris, regressando ao seu lugar de raiz, a imediata melhor solução? Talvez, se, enquanto Fejda e Amorim não se libertam de longas lesões, Cristante acelerar progressos que exibe como n.º 6. Este miúdo italiano é mescla de talento, na capacidade técnica e na visão de projetar ofensivas, com lentidão para recuperar posições defensivas. Bem diferente do que Jorge Jesus gosta e soube dimensionar em Javi e Matic. (...)»

Dia 1 Jan. FERIADO

Dia 2

António Oliveira - Ex-Seleccionador Nacional no Record; «(...) Numa época 2013/14 atípica, em que o FC Porto esteve muito abaixo das suas capacidades, um Sporting de orçamento limitado e sem jogos europeus, conseguiu atingir o 2.° lugar e até um dado momento bateu-se mesmo pela conquista do título de campeão. Possivelmente iludido com o sucesso do ano anterior, Bruno de Carvalho acreditou ser possível fazer ainda melhor este ano. É legítimo, mas discutível. Usar o técnico como bode expiatório é uma tremenda injustiça. Com os ovos de que dispõe, Marco Silva está a fazer ótimas omeletas e as perspetivas de sucesso no final da temporada até são bastante animadoras. Mas para isso acontecer, a estrutura leonina terá de encontrar uma solução rapidamente, de modo a que esta instabilidade não se alastre ao balneário que, como já referi, me parece estar do lado do treinador. »

José Manuel Delgado - Sub-Director de A Bola; «(Extracto da entrevista de Luís Filipe Vieira)- «Não quero que os nossos jovens descurem os estudos»
- Até onde irá o desenvolvimento do projeto do Seixal? Vêm aí mais campos e a Casa do Jogador?
- Ao mesmo tempo que consolidávamos processos e a estrutura da formação, fomos melhorando as condições físicas do Caixa Futebol Campus. Já nasceram mais três campos relvados resultantes do protocolo com a Câmara Municipal do Seixal, vamos poder contar num curto espaço de tempo com um outro campo relvado, que vai resultar de um ajustamento no projeto inicial, desenvolvemos o mais avançado simulador de futebol (360S), o que diz muito da nossa capacidade de inovar em todas as áreas, e, por achar que o Benfica tem responsabilidades sociais, gostaria de avançar com a Casa do Jogador. As nossas referências merecem ter um apoio, mesmo que seja básico, quando todos os outros apoios falharem. Temos tido conhecimento de muitos ex-jogadores que, por circunstâncias que a vida ditou, estão a passar dificuldades que não podem enfrentar sozinhos. E, nesse caso, o Benfica deve ter a preocupação e os meios de os poder apoiar.
- Tem falado da possibilidade de estabelecer um colégio no Seixal...
- Há uma área que gostaria de implementar no Seixal e que tem a ver com a vertente académica dos nossos jogadores mais jovens. É cada vez mais difícil compatibilizar o estudo com os treinos, e tenho sentido essa dificuldade no dia a dia dos nossos atletas, mas eu não quero que eles descurem os estudos, porque o ensino é uma ferramenta para a vida. Sei o valor que tem os estudos, por isso estamos a estudar a hipótese de avançar com um polo de ensino dentro do Caixa Futebol Campus
- Um polo de ensino secundário?
- Secundário seguramente, mas admito a possibilidade de fazer um acordo com uma Universidade e implementar, igualmente, um polo universitário. Já temos jogadores a frequentar a universidade, mas sei a dificuldade que isso representa. Ter um polo universitário no Seixal facilitaria a vida aos nossos jogadores, mas permitiria a muitos alunos de fora conhecer e formar-se com base nas praticas e resultantes de um conhecimento feito da nossa experiência destes 8 anos. É um projecto em que quero apostar.
»

Jornal 'O Benfica' - ; «Eusébio faleceu a 5 de Janeiro - Um ano sem o Rei»
'Avenidas com o seu nome'
No próximo dia 5 de Janeiro um ano após a sua morte, vai ser inaugurado um troço junto ao Estádio da Luz com o seu nome, tal como já noticiámos no nosso jornal. Antes, a Câmara Municipal de Loulé também anunciou que a avenida Sul de acesso ao Estádio do Algarve vai passar a denominar-se e Eusébio da Silva Ferreira.
Entretanto, Eusébio encontra-se actualmente· nomeado juntamente com Luís Figo e Cristiano Ronaldo para Jogador do Centenário da Federação Portuguesa de Futebol. O prémio será entregue no dia 14 de Janeiro, na Gala "Quinas de Ouro", no Casino Estoril. Para votar na Glória do Benfica basta aceder ao site do organismo federativo.
»

SIGA-NOS NO TWITTER AMIGO ON FACEBOOK REENCAMINHE PARA UM AMIGO
Copyright © *|CURRENT_YEAR|* *|LIST:COMPANY|*, All rights reserved.
*|IFNOT:ARCHIVE_PAGE|* *|LIST:DESCRIPTION|*
Remover | Preferências 
*|IF:REWARDS|* *|HTML:REWARDS|* *|END:IF|*