Votação Anti Todos ao Estádio! Qual Arbitragem? Tesourinhos Artigos de Opinião Disparates Lapidares

Votação Anti Todos ao Estádio! Qual Arbitragem? Seara Alheia Tesourinhos Artigos de Opinião Disparates Lapidares


Outros Canais Anti-Benfiquismo Disparates Lapidares Artigos de Opinião
 
Comentários a Artigos

Basismo
António Varela, jornal Record
31 de Julho de 2011





O domingo desportivamente falando é sempre um dia que promete, mais do que não seja por nos serem servidas Vareladas à moda do pasquim. Acordamos bem dispostos com a certeza de que nos vamos divertir com as tiradas tonitruantes de António Varela que de tão sistémicas que são, ecoam nos nossos olhos e na nossa mente ao longo de toda a semana. Afinal às vezes os despautérios podem até exercer uma acção revigorante nos nossos espíritos. É tudo uma questão de paciência.

Depois de na semana passada Varela ter enaltecido a incrível actuação do capataz (de quem é fiel seguidor), ao ter derrotado o Benfica fora de campo depois dos raides suicidas com que encheu os cofres do Santos e os bolsos dos empresários e comissionistas sem que isso tenha constituido qualquer problema para o génio da SAD de mentalidade bacoca do clube regional, (situação que longe de merecer a sua análise crítica até foi digna dos maiores encómios), o Varela do pasquim desempenhando em pleno a sua acção de freteiro, esta semana entreteve-se a divagar sobre um tema repetitivo, o que comprova a sua mente enfeudada.

Realmente, Varela entende que a sua semanada serve quase exclusivamente para ataques descabelados ao Benfica, porque infelizmente (para ele), os encarnados e tudo o que representam constituem um horizonte demasiado grande e vasto para a sua pequenez intelectual que se esgota na subserviência com que (não) confronta as sabujices do capataz das quais é fiel porta-voz e as trabalha e divulga à moda do pasquim.

Vir criticar destrutivamente acções levadas a cabo pelos responsáveis do Benfica omitindo o que de pior faz nesse capítulo o capataz e a sua entourage é algo que lhe deveria merecer uma séria reflexão e um pingo de vergonha que já sabemos não existir . Quando fala em gastos de muitos milhões de euros, das duas uma: ou não sabe fazer contas ou então está a querer brincar aos contabilistas. Até nem era preciso grande esforço dado que o pasquim onde escreve ontem até avançava justamente com esses gastos.

E antes de avançar rumo aos disparates que o comprazem, devia ter-se detido nessa contabilidade, onde teria observado que o clube do capataz gastou proporcionalmente quase tanto em dois jovens jogadores (um suplente do antigo defesa Leo do Benfica) e outro que só virá em Janeiro, como o Benfica gastou na aquisição de 17 (dezassete!) jogadores. Apenas para conseguir as tais vitórias tão do agrado do capataz, mas que de há algum tempo a esta parte servem para os benfiquistas se divertirem pela tacanhez das acções.

É claro que isso, segundo o catedrático das planícies Varela, não constituem de nenhum modo erros de gestão. Pelo contrário, são jogadas de alto calibre só ao alcance de um predestinado como o capataz que usa e abusa deste tipo de pessoas subservientes  que de côcoras aguardam pacientemente que lhe seja comunicada a sua próxima missão, exclamando sempre presente!

Para já não falar daquela multidão de flops que o olho clínico do capataz, com aquela dose de infalibilidade que o caracteriza, não detectou porque provavelmente ter-se-ía ele próprio destacado para outro tipo de missão pessoal porventura mais premente, logo muito mais importante. Foram tantos que já lhe perdemos a conta, mas isso não preocupa Varela que vê nisso apenas virtudes e bons actos de gestão. Como bom discípulo!

É essa de facto a realidade que Varela parece ignorar apoiando-se única e simplesmente no Benfica para fazer uma extrapolação globalizante do futebol portoguês. Vistas as coisas de um determinado ponto de vista até se percebe perfeitamente, pois  é basicamente tudo uma questão de distribuição geográfica dos fundos – uns são exclusivamente nacionais e outros fazem a transfega por paraísos fiscais.

Afinal é tudo uma questão de opção... e de oportunidade...


Social Networks Artigo Original | Comentários | Página Anterior Bookmark and Share  






Artigo Opinião
Siga-nos no:
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Facebook
RSS


   
Web Design & SEO by ViviDelux