Votação Anti Todos ao Estádio! Qual Arbitragem? Tesourinhos Artigos de Opinião Disparates Lapidares

Votação Anti Todos ao Estádio! Qual Arbitragem? Seara Alheia Tesourinhos Artigos de Opinião Disparates Lapidares


Outros Canais Anti-Benfiquismo Disparates Lapidares Artigos de Opinião
 
Comentários a Artigos

Liberdades de mentes bloqueadas
António Varela, jornal Record
24 de Junho de 2011




Quando todos esperávamos que a mente sublime de António Varela o tivesse inspirado para dissertar sobre o assunto da actualidade (a deserção de André Villas Boas e parte da equipa técnica para o Chelsea e ainda a possibilidade de também para lá demandarem jogadores portistas), eis que nos vem falar de liberdade – uma coisa que parece não saber o que é.

Como o plumitivo das planícies apenas conhece vagamente o conceito dessa mesma liberdade, e utiliza as amplas possibilidades que a mesma lhe confere para agredir regularmente a nossa inteligência, resolveu desta vez tagarelar sobre uma suposta ditadura que grassa no reino da águia. 

Do alto das suas limitações congénitas, Varela numa tarefa certamente encomendada, resolveu fazer comparações entre o presidente do Benfica e o chefe que queria estender o seu mando a todo o lado, uma experiência que por lhe ter sido presencialmente desconhecida, devia obrigá-lo a abster-se de a comentar por não saber do que fala, até porque as mais elementares regras de bom senso não são o seu forté. Como ninguém o avisou caiu no ridículo ou melhor, não saiu do seu habitat natural.

Numa acção para papalvo ler, Varela insurge-se contra os patrões dos clubes portugueses que têm a mania. Segundo ele,«querem, podem e mandam sem a olhar a códigos éticos que respeitem os trabalhadores».Atrever-nos-íamos a dizer que Joaquim Evangelista não faria melhor. Aliás, até deixávamos uma sugestão ao líder do SJ para avençar já este rapaz para dar uma mãozinha (apenas isso) porque corria o risco de descredibilizar completamente os jogadores.

Varela fala em códigos éticos, mas esqueceu-se que ele próprio e o pasquim onde escreve desconhecem-nos, ultrapassando tudo e todos no capítulo da maledicência, da especulação e da mentira, porque para eles só existe um objectivo – o aumento das tiragens e da publicidade.

Falou candidamente dos patrões dos clubes portugueses, mas o seu fito era apenas falar do Benfica e se repararem aquilo foi apenas o introito e a desculpa para se aventurar sobre um tema demasiado gasto, profusamente discutido, enfim, próprio de quem apenas quer usar um reles pretexto para cumprir o seu objectivo de dizer mal. Que triste alma penada!

Temos notado que existem muitos Varelas que pretendem fazer do caso em questão um drama de contornos obscuros. Há muito que percebémos as suas reais intenções que são claras: desestabilizar os encarnados para que a pré-época seja um inferno por forma a que a época que se segue seja um desastre. Por isso socorrem-se de tudo aquilo que julgam ser argumentos, e até chegam ao desplante de quererem padronizar acções de aconselhamento.

Os benfiquistas não reconhecem qualquer competência, idoneidade, rigor ou honestidade intelectual a estes opinadores de pacotilha sobre aquilo que devia ou não ter sido feito. Que saibamos, o Benfica não é comandado a partir do exterior, nem uma quinta devassa onde alguns se entretêm a fazer piquenique.

Dizer que deveriam confirmar se são notícias os boatos que circulam, e que alguns a quem se deveria pedir decoro mas que estão eufeudados a pasquins que contribuem para o seu sustento também ajudam a propalar, é pura estultícia. Já sabemos que mais vale um péssimo boato, do que uma boa notícia.

Porque encaramos sempre as croniquetas de Varela com a melhor das disposições, desde já lhe pedimos encarecidamente para não insistir no disparate continuado, pois a recorrência mesmo de factos que contribuem para a nossa boa disposição também corre o risco de saturar. Também lhe sugerimos para a sua próxima semanada que aí vem, que fale do assunto da actualidade e da falta de fina ironia do seu patrono que, julgamos nós, será também um dos patrões de clubes portugueses que tem a mania e que quer, pode e manda sem olhar a códigos éticos (...).

Não nos desiluda...




Social Networks Artigo Original | Comentários | Página Anterior Bookmark and Share  






Artigo Opinião
Siga-nos no:
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Facebook
RSS


   
Web Design & SEO by ViviDelux