Votação Anti Todos ao Estádio! Qual Arbitragem? Tesourinhos Artigos de Opinião Disparates Lapidares

Votação Anti Todos ao Estádio! Qual Arbitragem? Seara Alheia Tesourinhos Artigos de Opinião Disparates Lapidares


Outros Canais Anti-Benfiquismo Disparates Lapidares Artigos de Opinião
 
Comentários a Artigos

Critérios de dependência
António Varela, jornal Record
13 de Março de 2011



O episódio deveras lamentável protagonizado presumivelmente por dois fanáticos pintistas a que se juntou um terceiro – o motorista, na pessoa do V.P. do Benfica – Rui Gomes da Silva anteontem à saída de um restaurante na Foz do Porto teve, como se esperava, reacções distintas, o que vem provar, se algumas dúvidas existissem, que existem pessoas e particularmente profissionais da comunicação social que divulgam e comentam os factos, em função do local, das pessoas e sobretudo das cores clubistas envolvidas. Vidé António Varela.

Esta postura dependente, tem sido a mesma que têm adoptado em todos os episódios do mesmo género, demitindo-se das suas responsabilidades e envergonhando uma profissão tão nobre como a sua, que tem vindo paulatinamente a ser abastardada por manobristas e incompetentes que lentamente têm vindo a tomar-lhe as rédeas, o que obriga os verdadeiros jornalistas a desenvolverem um esforço incomum para sobreviverem à hecatombe que diariamente se abate sobre a opinião pública através de um desfilar de chorrilhos, asneiras e mentiras que fariam Gutemberg revirar-se no túmulo.

Notámos o incómodo e a chatice de alguns por logo agora ter acontecido aquilo, que no dizer de Varela se trata apenas de um banal caso de polícia. Sobre os sintomas preocupantes que se revelaram nas incríveis declarações do pinto-maior nem uma palavra condenatória, o que diz tudo sobre a sintomatologia da pessoa em causa.

O que parece preocupar unicamente Varela, é «Pinto da Costa poder deixar de gabar-se de ir do Altis jantar ao Gambrinus tranquilamente, fazendo ambos os trajectos a pé, sem que alguém o importune», o que prova que existe uma substancial diferença entre estar na capital ou em qualquer parte do país, e na parte geográfica específica influenciada pelos pintistas, a que assume o regionalismo bacoco e exacerbado desde sempre protagonizado pelo pinto-maior. Mas percebemos na perfeição onde Varela quer chegar!

Da nossa parte e isto que fique bem claro, esperamos que todos os cidadãos da capital ou de qualquer outra zona, por mais motivações que tenham, por mais disparates que oiçam, e por mais apelos patéticos que registem, continuem a demonstrar toda a arte de bem receber os visitantes, mesmo aqueles que não o merecem e muito menos o justificam. Saber estar não está ao alcance de todos, e que não deve ser confundido com moleza ou falta de firmeza na razão que lhes assiste. Não há alternativa a isto, sob pena de caírem na esparrela e assumirem comportamentos que não os dignificam e não resolvem nenhum problema. Antes pelo contrário!

Varela é perito em manobras de diversão. Reparem neste pequeno naco: «O Benfica despediu-se do título, em Braga, e arriscou fazê-lo também na Liga Europa, não tivesse aparecido o génio de Aimar e a eficácia de Franco Jara. Por ali, vai resolvendo a categoria dos jogadores  e a dinâmica da equipa, quando o físico continua a dar sinal de estar nas últimas. Houve má planificação de um treinador que diz só pensar em futebol?».

Observando mais atentamente estas frases rebuscadas de Varela, podemos concluir sem receio de desmentido que nunca tínhamos visto tanto disparate por metro quadrado, logo numa altura tão difícil como esta, em que o espaço deveria ser milimetricamente aproveitado para falar de coisas reais, sérias e com interesse colectivo.

Mas será lícito exigir a Varela mais competência... quando a «incompetência é a palavra que está por trás de todos os pretextos» como disse Jardel Queiroz?


Social Networks Artigo Original | Comentários | Página Anterior Bookmark and Share  







Artigo Opinião
Siga-nos no:
Siga-nos no Twitter
Siga-nos no Facebook
RSS


   
Web Design & SEO by ViviDelux